Política

TRE-MS marca para 11 de abril eleição suplementar em Sidrolândia

O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) marcou para 11 de abril a eleição suplementar para prefeito de Sidrolândia. O calendário eleitoral prevê que as convenções já podem ser realizadas na sexta-feira (5). Eleito em novembro de 2020, Daltro Fiúza (MDB) teve a candidatura impugnada e o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu […]

Adriel Mattos Publicado em 04/03/2021, às 18h30 - Atualizado às 18h32

Sede do TRE-MS, localizado no Parque dos Poderes, em Campo Grande. (Foto: Marcos Erminio/Midiamax)
Sede do TRE-MS, localizado no Parque dos Poderes, em Campo Grande. (Foto: Marcos Erminio/Midiamax) - Sede do TRE-MS, localizado no Parque dos Poderes, em Campo Grande. (Foto: Marcos Erminio/Midiamax)

O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) marcou para 11 de abril a eleição suplementar para prefeito de Sidrolândia. O calendário eleitoral prevê que as convenções já podem ser realizadas na sexta-feira (5).

Eleito em novembro de 2020, Daltro Fiúza (MDB) teve a candidatura impugnada e o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu nesta semana manter a sentença de primeira instância. Com a impossibilidade de novos recursos, o TRE convocou nova eleição.

Os partidos têm até o dia 11 para escolher os candidatos, devendo registrá-los até 14 de março. A campanha começa no dia seguinte e o horário eleitoral na TV e rádio será de 20 de março a 8 de abril.

A posse do novo prefeito e vice está marcada para 1º de maio. Antes disso, a Justiça Eleitoral já deverá ter julgado as contas e diplomado os eleitos. A presidente da Câmara Municipal, Vanda Camilo (PP), exerce interinamente a chefia do Executivo.

Fiuza teve 46,44% dos votos nas eleições de 2020, mas não assumiu o cargo por ter sido enquadrado pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) na Lei da Inelegibilidade (LC 64/1990). Ele administrou o município por dois mandatos (de 2005 a 2012), mas tem uma condenação por improbidade administrativa.

Jornal Midiamax