Política

Sérgio Nogueira assume relatoria da CPI que vai investigar verbas da covid na gestão passada

Tucano foi indicado pelo bloco “Força Legislativa”, o mesmo que já havia escolhido o nome de Liandra da Saúde, aliada da ex-prefeita

Marcos Morandi Publicado em 08/04/2021, às 13h54

Sérgio Nogueira foi indicado pelo bloco majoritário na Câmara de Vereadores
Sérgio Nogueira foi indicado pelo bloco majoritário na Câmara de Vereadores - Valdenir Rodrigues

O vereador Sérgio Nogueira (PSDB), que participou da mesa diretora durante a Legislatura anterior, será o novo relator da CPI que irá investigar aplicação de verbas federais recebidas pelo município de Dourados para enfrentamento da Covid 19 durante a gestão de Délia Razuk (sem partido), no ano passado.

O tucano, que já declarou ser  aliado do prefeito Alan Guedes (PP) e com quem sempre teve estreito relacionamento desde a época em que atuaram juntos no parlamento municipal, assume o cargo de relator da CPI instalada na última segunda-feira (5) no lugar da colega Liandra da Saúde (PTB), que alegou “motivos de foro íntimo” e desistiu do cargo.

O nome de Nogueira já estava sendo articulado junto ao bloco “Força Legislativa” e foi confirmado ao Midiamax nesta quinta-feira (8) pelo presidente da Câmara de Vereadores, Laudir Munaretto. Segundo ele, a indicação do tucano foi feita pelo bloco majoritário.

Além de Sérgio Nogueira e Liandra da Saúde, do PTB, o bloco “Força Legislativa”, é composto pelos vereadores Jânio Miguel, do PTB; Rogério Yuri, do PSDB; Olavo Sul, do MDB e por Cemar Arnal e Marcão da Sepriva, do Solidariedade.

“Trata-se de uma grande responsabilidade desempenhar a relatoria e pretendo contribuir com o trabalho da CPI, ajudar meus colegas a buscarmos as respostas e esclarecimentos de todas as perguntas e questionamentos apresentados no documento que deu origem ao pedido de abertura” disse Nogueira ao Midiamax.

O parlamentar também ressaltou que pretende agir com ética e lisura, buscando o apoio necessário de pessoas peritas técnicas da área da contabilidade e jurídica para subsidiar e aprofundar ao máximo a investigação para que possamos apresentar um relatório substancial para a apreciação dos demais””.

Desistência

Em nota à Imprensa, distribuída no final da noite da última terça-feira (6), Liandra disse que desistiu da Relatoria da CPI depois de ouvir a família, prezar pela transparência dos atos públicos e “entendendo que a minha decisão fortalecerá o Legislativo que integro e respeito”. Ela lembrou que a participação na CPI não foi por uma escolha sua e, sim, pelo bloco legislativo que faz parte.

“Agradeço a confiança conferida a mim pelos meus colegas do bloco Força Legislativa ao me indicarem e entenderem que a minha participação seria necessária, devido a minha atuação profissional na área da saúde, e que a experiência que tivera outrora contribuiria neste momento, onde serão apurados possíveis divergências nos gastos relativos ao enfrentamento da Covid-19 no município. Destaco que continuo à disposição e preparada para enfrentar todo e qualquer desafio pertinente ao meu mandato”, diz trecho da nota.

Liandra da Saúde afirmou ainda, que o declínio da Relatoria não se assemelha a uma fuga, e sim, a um entendimento pessoal sobre como poderia contribuir para elucidar as questões que serão suscitadas.

Jornal Midiamax