Política

Secretário de Coxim que ironizou uso de máscara com calcinha no rosto pede afastamento

Depois de vestir calcinha no rosto, Wilson José dos Santos deve ser exonerado do cargo de secretário de Obras de Coxim nos próximos dias.

Jones Mário Publicado em 26/03/2021, às 17h00 - Atualizado em 27/03/2021, às 07h42

Wilson José dos Santos vestiu calcinha no rosto para ironizar uso de máscaras (Foto: Reprodução)
Wilson José dos Santos vestiu calcinha no rosto para ironizar uso de máscaras (Foto: Reprodução) - Wilson José dos Santos vestiu calcinha no rosto para ironizar uso de máscaras (Foto: Reprodução)

Depois de viralizar em vídeo com uma calcinha no rosto para ironizar o uso de máscaras, o secretário municipal de Obras de Coxim, Wilson José dos Santos, pediu afastamento do cargo nesta sexta-feira (26). A informação foi confirmada pelo prefeito Edilson Magro (DEM).

“A gente foi conversar e ele pediu afastamento, entendendo que era o melhor a fazer”, disse o democrata. Magro ainda afirmou que o secretário “é um cidadão muito correto, honesto e trabalhador”, de quem é “muito amigo” e tem “muita admiração”.

A exoneração a pedido do secretário de Obras ainda deve ser oficializada em Diário Oficial. O prefeito Edilson Magro revelou também que ainda não tem um substituto para a pasta.

Wilson José dos Santos, de 75 anos, viralizou nas redes sociais em vídeo que circula desde a última semana, no qual ironiza o uso de máscaras de proteção. No lugar do EPI (Equipamento de Proteção Individual) indicado para prevenir o contágio pela covid-19, o secretário usa uma calcinha.

“Boa tarde, meu povo de Coxim. Esse é o novo sistema para evitar o covid. Quem tem coragem de usar essa máscara aqui não pega o covid de jeito nenhum, só que tem que usar ela 24 horas. Fica meu recado para o nosso povo, para o Brasil, para o mundo todo”, disse o secretário na gravação.

Em nota, a prefeitura de Coxim alegou que o vídeo foi filmado pela esposa do secretário, em uma brincadeira íntima, e publicado no grupo de WhatsApp da família, de onde teria vazado.

Em meio a recordes de contaminações e mortes pela covid-19 no Estado e em todo o Brasil, a repercussão do vídeo foi negativa. Vereadores de Coxim disseram que levariam o assunto ao plenário da Câmara.

O caso também levou o MPMS (Ministério Público Estadual) a registrar uma notícia de fato. O promotor da comarca de Coxim Marcos André Sant’ana Cardoso determinou o envio do vídeo e de notícias veiculadas na imprensa para que prefeitura e Câmara Municipal tomem “providências que entender cabíveis”.

Jornal Midiamax