Política

Secretaria precisa rever decisão de manter professores na escola mesmo sem aulas presenciais, afirma Pedro Kemp

O deputado estadual Pedro Kemp (PT) afirmou que a SED (Secretaria de Estado de Educação) precisa rever a decisão de manter os professores nas escolas, mesmo sem aulas presenciais e no momento mais crítico da pandemia da Covid-19. Kemp pontuou ter recebido várias ligações dos professores e pedido de apoio, pois, a proliferação do vírus […]

Renata Volpe Publicado em 11/03/2021, às 12h39

Deputado Pedro Kemp durante sessão desta quinta-feira (11). (Reprodução)
Deputado Pedro Kemp durante sessão desta quinta-feira (11). (Reprodução) - Deputado Pedro Kemp durante sessão desta quinta-feira (11). (Reprodução)

O deputado estadual Pedro Kemp (PT) afirmou que a SED (Secretaria de Estado de Educação) precisa rever a decisão de manter os professores nas escolas, mesmo sem aulas presenciais e no momento mais crítico da pandemia da Covid-19.

Kemp pontuou ter recebido várias ligações dos professores e pedido de apoio, pois, a proliferação do vírus pode ser maior no ambiente escolar, devido ao número de pessoas nas escolas. “Os professores estão temerosos devido ao contágio, a escola é local de aglomeração de pessoas. Têm escolas com 80, 100 professores, além do pessoal da limpeza e merenda”.

Segundo o parlamentar, no início do ano escolar, a SED determinou que nas duas primeiras semanas de aula, os alunos fossem até as escolas para uma atividade de acolhimento por parte dos professores. “E na terceira semana, as aulas seriam de forma remota. Depois, houve reconsideração da decisão e as aulas a partir de ontem, passaram a ser remotas”.

Todavia, conforme Kemp, há uma comunicação interna da SED determinando que os professores permaneçam na escolas, atendam os alunos e façam as atividades remotas nas escolas. “Os professores alegam que muitas vezes têm problemas de desenvolvimento das atividades nas escolas, pois a internet não é de boa qualidade, é instável e esse trabalho de aulas remotas poderia ser melhor desenvolvido se eles ficassem em home office”.

Por fim, o deputado pede à SED para rever a decisão. “Já que as aulas não presenciais não há motivo para professores ficarem na escola”.

Jornal Midiamax