Política

Reinaldo indica Carlos Alberto de Assis para comando da Agepan em MS

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), indicou formalmente o secretário especial Carlos Alberto de Assis como diretor-presidente da Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos). O mandato do atual titular, Youssif Domingos, expira em 11 de abril. A mensagem à Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul) […]

Adriel Mattos Publicado em 30/03/2021, às 15h17 - Atualizado às 15h37

Foto: Arquivo, Midiamax
Foto: Arquivo, Midiamax - Foto: Arquivo, Midiamax

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), indicou formalmente o secretário especial Carlos Alberto de Assis como diretor-presidente da Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos). O mandato do atual titular, Youssif Domingos, expira em 11 de abril.

A mensagem à Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul) foi publicada na edição desta terça-feira (30) do Diário Oficial do Legislativo. O projeto de decreto legislativo já foi apresentado pela Mesa Diretora e já está tramitando.

Como prevê a Constituição do Estado e lei de 2001 que regulamenta o funcionamento da autarquia, a Agepan é independente, tendo seu diretor indicado pelo governador, com o nome tendo que ser aprovado pela Assembleia. Na justificativa, Reinaldo pediu a aprovação com urgência, já que o mandato do atual diretor-presidente está prestes a expirar.

Quem é

Carlos Alberto de Assis é filiado ao PSDB. Já chefiou a Funesp (Fundação Municipal de Esportes) na gestão de Nelson Trad Filho (2005-2012) em Campo Grande. 

Comandou a campanha de Reinaldo à prefeitura da Capital em 2012. Dois anos depois, levou o atual governador à vitória nas urnas estaduais ao Governo do Estado. Assis também esteve à frente da campanha de Rose Modesto (PSDB) à prefeitura em 2016 e da campanha à reeleição de Reinaldo em 2018.

No primeiro mandato do tucano, Assis foi titular da SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização). Em 2016 e 2020, chegou a ser cotado como pré-candidato do PSDB à prefeitura de Campo Grande, mas não foi indicado. Na primeira ocasião, foi preterido por Rose, e na segunda vez, foi apontado como vice na chapa de reeleição de Marquinhos Trad (PSD), mas também não foi indicado.

Neste segundo mandato de Reinaldo, ele ocupava o cargo de secretário especial no Escritório de Gestão Política do governo.

Jornal Midiamax