Política

Principais órgãos do governo ainda não decidiram sobre volta do home office

Com o novo decreto determinando toque de recolher e medidas com restrições para evitar o avanço da pandemia do coronavírus em Mato Grosso do Sul, os principais órgãos do governo ainda não decidiram se os servidores vão continuar trabalhando presencialmente ou não.  O decreto com as restrições foi publicado no Diário Oficial na última quarta-feira […]

Renata Volpe Publicado em 11/03/2021, às 11h42

Decreto foi publicado nesta quinta-feira. (Divulgação)
Decreto foi publicado nesta quinta-feira. (Divulgação) - Decreto foi publicado nesta quinta-feira. (Divulgação)

Com o novo decreto determinando toque de recolher e medidas com restrições para evitar o avanço da pandemia do coronavírus em Mato Grosso do Sul, os principais órgãos do governo ainda não decidiram se os servidores vão continuar trabalhando presencialmente ou não. 

O decreto com as restrições foi publicado no Diário Oficial na última quarta-feira (10). Nele, consta a recomendação aos órgãos e às entidades públicas do Poder Executivo a adoção do regime excepcional de teletrabalho, cabendo ao dirigente máximo das Pastas editar ato dispondo sobre a aplicação e o alcance desse regime, observados os limites do decreto regulamentador e a continuidade da prestação dos serviços públicos.

Ainda segundo o decreto, paralelamente ao regime de teletrabalho, os dirigentes máximos dos órgãos e das entidades públicas estaduais ficam autorizados a adotar outras medidas necessárias à redução do fluxo de pessoas, a exemplo da instituição de reuniões virtuais e do regime de revezamento de turnos, desde que não acarrete prejuízos ao serviço e se observem os regulamentos expedidos sobre a matéria. 

Assim, ainda não há determinação com relação aos funcionários da Segov (Secretaria de Governo e Gestão Estratégica) e governadoria.

A Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura) e Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) também não determinaram se os funcionários vão trabalhar de casa. 

A reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com a SAD (Secretaria de Administração e Desburocratização), mas não obteve retorno até o momento. A assessoria do Detran também foi acionada e a reportagem aguarda uma resposta. 

Jornal Midiamax