Política

Prefeito diz que Ponta Porã seguirá decreto ‘à risca’ para conter avanço da pandemia em MS

A Prefeitura de Ponta Porã seguirá à risca o decreto do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus. Após novas regras de restrição e circulação de pessoas, estipuladas no novo decreto publicado nesta quarta-feira (24) pelo governo do Estado, o toque de recolher começa a valer a partir das […]

Renata Volpe Publicado em 25/03/2021, às 10h31 - Atualizado às 15h10

Prefeitura de Ponta Porã. (Divulgação)
Prefeitura de Ponta Porã. (Divulgação) - Prefeitura de Ponta Porã. (Divulgação)

A Prefeitura de Ponta Porã seguirá à risca o decreto do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus. Após novas regras de restrição e circulação de pessoas, estipuladas no novo decreto publicado nesta quarta-feira (24) pelo governo do Estado, o toque de recolher começa a valer a partir das 16h nos finais de semana.

De acordo com o prefeito Hélio Peluffo (PSDB), o decreto do Estado é maior e precisa ser cumprido. “Se não seguir, posso ser punido pelo Ministério Público. Não existe não seguir o decreto”, afirmou.

Ainda segundo Peluffo, a prefeitura irá fiscalizar para que o decreto seja cumprido. “O decreto passado foi positivo, diminuiu a movimentação das pessoas nas ruas, mas vamos saber os números na próxima semana”.

O prefeito disse também que o governo paraguaio determinou toque de recolher também às 20h, o que ajuda Ponta Porã, devido à fronteira seca e a livre circulação das pessoas. “O decreto paraguaio vai nos ajudar bastante, se não o cidadão pula para o outro lado e não adianta muito”.

Jornal Midiamax