Política

Justiça vê omissão em contas e manda candidata em Dourados devolver R$ 1,3 mil ao PT

Postulante à Câmara de Vereadores de Dourados, candidata do PT não comprovou uso dos recursos direcionados pelo partido a sua campanha.

Jones Mário Publicado em 14/03/2021, às 16h46

Bandeiras do PT. (Reprodução/Dourados)
Bandeiras do PT. (Reprodução/Dourados) - Bandeiras do PT. (Reprodução/Dourados)

A Justiça Eleitoral condenou a candidata a vereadora em Dourados nas eleições de 2020, Anderci da Silva, a devolver R$ 1,3 mil ao PT (Partido dos Trabalhadores). Ela ainda teve prestação de contas julgadas desaprovadas.

Segundo decisão do juiz César de Souza Lima, da 18ª Zona Eleitoral de Dourados, a candidata recebeu R$ 1,3 mil do PT, mas não comprovou que usou os recursos. Nestes casos, a legislação eleitoral determina a devolução do dinheiro à legenda, o que também não foi provado.

“A candidata não se manifestou a respeito das irregularidades identificadas no parecer técnico, sem provas de regular quitação das dívidas e sem o devido lançamento no Sistema de Prestação de Contas Eleitorais”, justificou o magistrado.

“Em decorrência disso, as omissões e falhas da prestação de contas em exame não asseguram que a campanha política tenha sido desenvolvida de forma límpida”, completou o juiz. Anderci recebeu apenas 28 votos nas eleições de novembro de 2020. Não foi eleita.

Expedida na última sexta-feira (12), mas publicada no Diário do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) desta segunda (15), a decisão dá cinco dias após o trânsito em julgado do processo para a restituição dos valores ao PT.

Jornal Midiamax