Política

Governo de MS deve reduzir impostos das empresas durante a pandemia, defendem deputados

Arrecadação nos dois primeiros meses do ano foi R$ 300 milhões a mais se comparado com 2020

Renata Volpe Publicado em 06/04/2021, às 11h32

Deputados Cabo Almi (PT) e Capitão Contar (PSL)
Deputados Cabo Almi (PT) e Capitão Contar (PSL) - Luciana Nassar, Alems, Arquivo

Reduzir e zerar impostos. Flexibilizar prazos de tributos. São algumas das medidas ditas pelos deputados estaduais, que o Governo de Mato Grosso do Sul pode fazer para ajudar os empresários, durante a pandemia da Covid-19.

Isso tudo porque, mesmo com o colapso das empresas por medidas de toque de recolher e antecipação de feriados, a arrecadação do Governo Reinaldo Azambuja (PSDB) foi quase 15% maior que no mesmo período de 2020, ou seja, mais de R$ 300 milhões de diferença. 

De acordo com o deputado Capitão Contar (PSL), o Governo Estadual deveria ter seguido a mesma linha do Federal. “Reduzindo e zerando impostos, bem como flexibilizando prazos dos tributos, como uma forma de aliviar os que não dependem do Estado para sobreviver”.

Contar se refere ao Programa Mais Social, que vai pagar R$ 200 a 100 mil famílias do Estado, para comprar alimentos.

Segundo o deputado Cabo Almi (PT), seria necessário o governo estadual dar ajuda aos pequenos empresários. “A situação deles é muito difícil. O governo poderia aproveitar essa arrecadação e inclusive na questão do combustível”.

Almi lembra das altas nos preços dos combustíveis nos últimos meses. “Em um momento de pandemia e sofrimento do povo, o Governo Federal reajustou mais uma vez o gás de cozinha e pode vir um novo reajuste do combustível”.

Jornal Midiamax