Política

Em meio a ‘fecha tudo’ para conter pandemia, prefeitura de Douradina recomenda jejum e oração

A prefeitura de Douradina, município no sul do Estado, fez uma sugestão inusitada no decreto que regulamentou o fechamento de serviços considerados não essenciais determinado pelo governo. Os cidadãos cristãos foram convidados a se unir em corrente de oração e a fazer jejum. Na publicação desta segunda-feira (29) do Diário Oficial da Assomasul (Associação dos […]

Adriel Mattos Publicado em 29/03/2021, às 15h02 - Atualizado em 30/03/2021, às 10h26

Foto: Prefeitura de Douradina | Reprodução
Foto: Prefeitura de Douradina | Reprodução - Foto: Prefeitura de Douradina | Reprodução

A prefeitura de Douradina, município no sul do Estado, fez uma sugestão inusitada no decreto que regulamentou o fechamento de serviços considerados não essenciais determinado pelo governo. Os cidadãos cristãos foram convidados a se unir em corrente de oração e a fazer jejum.

Na publicação desta segunda-feira (29) do Diário Oficial da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), além da oração em casa e nos templos, as pessoas ainda podem, se puderem, jejuar um dia por semana “de acordo com o dogma de cada religião, invocando as Misericórdias do Senhor sobre nosso Município, a fim de que juntos, em oração, possamos vencer essa pandemia”.

As demais disposições do decreto mantém as restrições recomendadas pelo Governo do Estado, que devem se estender até 4 de abril. Nesse período, apenas 45 serviços considerados essenciais podem funcionar, seguindo as normas de biossegurança.

Jean Fogaça (PSDB) não é o primeiro a tomar esta atitude. Na semana passada, o prefeito de Bonito, Josmail Rodrigues (PSB), também convidou a população a jejuar e orar por meio de decreto. No caso da cidade turística, o chefe do Executivo instou todos a aderir, independente de denominação religiosa.

Segundo a SES (Secretaria de Estado de Saúde), Douradina acumula 351 casos e cinco mortes por Covid-19. A cidade não tem hospital público e a demanda por leitos é atendida por Dourados.

Restrições

Com quatro cidades com risco extremo de transmissão do novo coronavírus, superlotação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e quase 200 pacientes aguardando vagas, o governo ampliou as restrições após ouvir os prefeitos dos 79 municípios.

Assim, passam a ser permitidas apenas atividades consideradas como essenciais e elencadas no decreto para funcionamento de 26 de março a 4 de abril.  Além disso, o toque de recolher foi mantido das 20h às 5h em todo o Estado.

Aos finais de semana, sábado e domingo, foi mantida a restrição de circulação e funcionamento de estabelecimentos das 16h às 5h. Algumas atividades, como farmácias, hipermercados e outros podem funcionar após os horários de toque de recolher.

Jornal Midiamax