Política

Em carta, Reinaldo e mais 15 governadores cobram do STF ações contra instabilidade institucional

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e mais 15 governadores assinaram uma carta cobrando do Congresso Nacional e do STF (Supremo Tribunal Federal), ações contra a instabilidade institucional.  A carta com data da última segunda-feira (29), ataca  “agressões e fake news” que buscam criar “instabilidade institucional”. Isso porque, deputados bolsonaristas têm espalhado mentiras s...

Renata Volpe Publicado em 30/03/2021, às 07h39 - Atualizado às 08h18

Governador Reinaldo Azambuja | Foto: Leonardo de França | Midiamax
Governador Reinaldo Azambuja | Foto: Leonardo de França | Midiamax - Governador Reinaldo Azambuja | Foto: Leonardo de França | Midiamax

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e mais 15 governadores assinaram uma carta cobrando do Congresso Nacional e do STF (Supremo Tribunal Federal), ações contra a instabilidade institucional. 

A carta com data da última segunda-feira (29), ataca  “agressões e fake news” que buscam criar “instabilidade institucional”. Isso porque, deputados bolsonaristas têm espalhado mentiras sobre dinheiro público de dinheiro jamais repassado aos estados, fomentam tentativas de cassação de mandatos.

A carta, intitulada “Queremos verdade e paz”, não citou nomes mas mencionou “agentes políticos” e “autoridades federais”.

Segundo informações da Época, a divulgação do documento acontece um dia depois da morte do soldado da PM baiana Wesley Góes, abatido por agentes do Bope após sofrer um aparente surto psicótico e disparar seu fuzil em Salvador.

Por isso, sem evidências, deputados bolsonaristas associaram a morte a “ordens ilegais” do governador da Bahia, o petista Rui Costa, que encabeça a lista dos governadores que assinaram o documento.  

No documento, consta que “os governadores manifestam sua indignação em face da crescente onda de agressões e difusão de fake news que visam a criar instabilidade institucional nos Estados e no País”.

“Alguns agentes políticos espalham mentiras sobre dinheiro jamais repassado aos estados, fomentam tentativas de cassação de mandatos, tentam manipular policiais contra a ordem democrática, entre outros atos absurdos”, seguiu o documento, acrescentando:

“Registramos especialmente o nosso protesto quando são autoridades federais, inclusive do Congresso Nacional, que violam os princípios da lealdade federativa”, afirma a reportagem da Época.

Ainda na carta, os governadores pediram aos chefes dos Três Poderes que tomem providências para coibir “atos ilegais e imorais”.

A deputada Bia Kicis (PSL), presidente da CCJ (Comissão de Constituição de Justiça), a comissão mais importante da Câmara, instigou bolsonaristas nas redes sobre a morte do PM, afirmando que “chega de cumprir ordem ilegal”. Depois, apagou a publicação.

Os governadores que assinaram a carta, são: Rui Costa (BA), Flávio Dino (MA), Helder Barbalho (PA), Paulo Câmara (ES), João Doria (SP), Ronaldo Caiado (GO), Mauro Mendes (MT), Eduardo Leite (RS), Camilo Santana (CE), João Azevêdo (PB), Renato Casagrande (ES), Wellington Dias (PI), Fátima Bezerra (RN), Belivaldo Chagas (SE), Reinaldo Azambuja (MS), Waldez Góes (AP).

Jornal Midiamax