Política

Deputado que sofreu ataque do PCC na fronteira de MS morre de coronavírus

Filho de família tradicional de políticos no Departamento de Amambay, que faz fronteira com Mato Grosso do Sul, o deputado paraguaio Robert Acevedo, de 54 anos,  faleceu nesta sexta-feira (26) em decorrência de complicações da Covid-19. O político paraguaio estava internado em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Instituto Nacional de Enfermidades Respiratórias na capital […]

Marcos Morandi Publicado em 26/02/2021, às 08h24 - Atualizado às 17h35

Político estava internado em hospital de Assunção. (Divulgação)
Político estava internado em hospital de Assunção. (Divulgação) - Político estava internado em hospital de Assunção. (Divulgação)

Filho de família tradicional de políticos no Departamento de Amambay, que faz fronteira com Mato Grosso do Sul, o deputado paraguaio Robert Acevedo, de 54 anos,  faleceu nesta sexta-feira (26) em decorrência de complicações da Covid-19.

O político paraguaio estava internado em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Instituto Nacional de Enfermidades Respiratórias na capital Asunción, depois de ter sido atendido inicialmente no Hospital Regional de Pedro Juan Caballero.

Robert Acevedo sobreviveu a um ataque a tiros em Pedro Juan Caballero, quando era senador, em 2010. Durante o atentado ele levou dois tiros e dois seguranças acabaram mortos. Na época o político e a polícia paraguaia atribuíram o crime ao PCC (Primeiro Comando da Capital), organização criminosa brasileira.

Além de deputado, Acevedo também já foi governador de Amambay. Ele é irmão do atual prefeito de Pedro Juan Caballero José Carlos Acevedo e do governador de Amambay Ronald Acevedo.

Jornal Midiamax