Política

Com pauta cheia, presidente da Alems reabre comissões com composições antigas

O presidente da Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul), Paulo Corrêa (PSDB) determinou a reabertura das comissões permanentes com as composições de 2020. O maior bloco da Casa ainda não indicou os nomes para integrar os colegiados em 2021. Durante a sessão desta quarta-feira (10), Corrêa convocou algumas das comissões para […]

Adriel Mattos Publicado em 10/02/2021, às 09h50 - Atualizado às 10h46

Foto: Luciana Nassar, Alems
Foto: Luciana Nassar, Alems - Foto: Luciana Nassar, Alems

O presidente da Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul), Paulo Corrêa (PSDB) determinou a reabertura das comissões permanentes com as composições de 2020. O maior bloco da Casa ainda não indicou os nomes para integrar os colegiados em 2021.

Durante a sessão desta quarta-feira (10), Corrêa convocou algumas das comissões para votar em plenário parecer sobre os dois projetos em pauta. O tucano havia alertado que iria manter as composições antigas se o consenso demorasse a chegar.

A reabertura deve ser temporária, pelo menos até todos os líderes apontarem os membros das comissões. Corrêa adiantou que a Assembleia tem cinco pedidos de prorrogação de calamidade pública em municípios, além de projetos do governo.

O G10 vai manter o número de membros. O líder seguirá sendo Londres Machado (PSD). Ainda compõem o bloco Antônio Vaz (Republicanos), Capitão Contar (PSL), Coronel David (sem partido), Evander Vendramini (PP), Gerson Claro (PP), Herculano Borges (Solidariedade), Jamilson Name (sem partido), João Henrique Catan (PL) e Lucas de Lima (Solidariedade).

Catan, que chegou a sair do grupo no ano passado, retorna agora como vice-líder. Londres não anunciou as indicações para as comissões. A definição depende de reunião com o líder do G9, Marcio Fernandes (MDB).

Vai e vem

O G9 quase virou G10 na terça-feira (9), com a chegada de Lucas de Lima e Neno Razuk (PTB). Mas como o Jornal Midiamax antecipou, Lucas foi obrigado a permanecer no G10.

Lídio Lopes (Patriota) ainda não decidiu se fica no G9 ou migra para o G10, a fim de permanecer na CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação). Porém, nenhum dos grupos tem intenção de reconduzi-lo.

Jornal Midiamax