Política

Blocos formalizam acordo e CCJR deve retornar na Alems na próxima semana

Primeira reunião deve eleger novo presidente do colegiado

Adriel Mattos Publicado em 18/02/2021, às 12h34 - Atualizado às 14h01

Foto: Wagner Guimarães, Alems
Foto: Wagner Guimarães, Alems - Foto: Wagner Guimarães, Alems

Depois de duas semanas com a pauta “travada” e colegiados funcionando de maneira temporária, os blocos parlamentares da Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul) formalizaram os acordos para as indicações dos nomes para todas as comissões da Casa. Entre idas e vindas, consolidou-se poucas mudanças entre os grupos.

O G9, liderado por Marcio Fernandes (MDB), confirmou a indicação de Barbosinha (DEM) e Eduardo Rocha (MDB) para a CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), a mais importante da Assembleia. Depende deste colegiado a análise se todo projeto apresentado pode ir ou não a plenário.

Prevaleceu o acordo do grupo e Lídio Lopes (Patriota) vai deixar a comissão. Ele pretendia ser reconduzido, mas ele não encontrou guarida no G10 de Londres Machado (PSD) e decidiu permanecer no G9.

Pelo G10, vão permanecer Evander Vendramini e Gerson Claro, ambos do PP. O PSDB também vai manter Rinaldo Modesto na comissão. Nos outros colegiados, os blocos e a bancada tucana vão manter os mesmos nomes de 2020.

Blocos formalizam acordo e CCJR deve retornar na Alems na próxima semana
Lídio Lopes permanece no G9 e não volta para CCJR. (Foto: Marcos Erminio, Jornal Midiamax)

Outra mudança?

Lídio teve ainda outro motivo para migrar para o G10. Coronel David, atualmente sem partido, pode ingressar no Patriota. Essa legenda, que chegou a anunciar a filiação do então candidato à Presidência Jair Bolsonaro pode ser agora a nova “casa” do atual chefe do Executivo federal.

Durante a sessão solene de abertura dos trabalhos da Câmara Municipal de Campo Grande, Lídio disse que pode mudar de bloco se David confirmar sua filiação. “Eu conversei com ele [David] pra tentar ficar nós dois juntos, pra gente, na mesma sigla, fazer parte do mesmo bloco. Ele preferiu se manter no mesmo bloco e eu também mantive, ele no G10 e eu G9”, disse ao Jornal Midiamax.

Só após a decisão de David é que Lídio “baterá o martelo”. “Definimos depois, porque não pode estar em bloco separado parlamentares do mesmo partido”, justificou.

Retomada

A primeira sessão da CCJR deve ter a eleição do novo presidente, que até então era Lídio. O presidente da Alems, Paulo Corrêa (PSDB), tentou convencer os membros do colegiado a decidir já nesta semana, mas não houve acordo.

Ficou marcada para a próxima quarta-feira (24) a eleição. Sendo o membro mais velho da comissão, Eduardo Rocha (MDB) presidirá os trabalhos e garantiu a Corrêa, na sessão desta quinta-feira (18), definir o nome do novo presidente na reunião da CCJR.

Jornal Midiamax