Política

Vereadora Liandra desiste de relatoria da CPI que vai investigar recursos da Covid liberados em Dourados na gestão passada

Parlamentar alega “motivos de foro íntimo” e diz que houve muitos questionamentos sobre sua participação na Comissão e que sua decisão fortalecerá o legislativo

Marcos Morandi Publicado em 07/04/2021, às 07h16

Desistência foi protocolada na noite desta terça-feira na Câmara de Dourados
Desistência foi protocolada na noite desta terça-feira na Câmara de Dourados - Valdenir Rodrigues

A vereadora Liandra Brambilla (PTB), protocolou na Câmara Municipal, no início da noite desta terça-feira (06), sua desistência da relatoria da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) instalada no legislativo para apurar fatos relacionados à aplicação de verbas federais recebidas pelo município de Dourados para enfrentamento da Covid-19 durante o ano de 2020.

No ofício entregue ao presidente Laudir Munaretto (MDB), a vereadora agradeceu pela deferência da nomeação e anunciou que estava declinando, “por motivos de foro íntimo, dessa condição, para que outro membro do legislativo municipal, especialmente do bloco ‘Força Legislativa’, em não havendo impedimento ou suspeição, possa fazê-lo”.

“Em respeito e proteção ao Legislativo estou saindo da CPI, pois esta Casa de Leis tem compromisso com a cidade de Dourados e houve muitos questionamentos sobre a minha estada na Relatoria da Comissão”, resumiu Liandra da Saúde, como é conhecida.

Em nota à Imprensa, distribuída no final da noite, Liandra diz que desiste da Relatoria da CPI depois de ouvir a família, prezar pela transparência dos atos públicos e “entendendo que a minha decisão fortalecerá o Legislativo que integro e respeito”. Ela lembrou que a participação na CPI não foi por uma escolha sua e, sim, pelo bloco legislativo que faz parte.

“Agradeço a confiança conferida a mim pelos meus colegas do bloco Força Legislativa ao me indicarem e entenderem que a minha participação seria necessária, devido a minha atuação profissional na área da saúde, e que a experiência que tivera outrora contribuiria neste momento, onde serão apurados possíveis divergências nos gastos relativos ao enfrentamento da Covid-19 no município. Destaco que continuo à disposição e preparada para enfrentar todo e qualquer desafio pertinente ao meu mandato”, diz trecho da nota.

Liandra da Saúde diz ainda que o declínio da Relatoria não se assemelha a uma fuga, e sim, a um entendimento pessoal sobre como poderia contribuir para elucidar as questões que serão suscitadas.

Com da desistência de Liandra, o presidente Laudir Munaretto deverá indicar, ainda nesta quarta-feira (07), outro vereador do bloco “Força Legislativa” para a relatoria da CPI da Saúde. Além dela, integram o bloco os vereadores Jânio Miguel, do PTB; Sérgio Nogueira e Rogério Yuri, do PSDB; Olavo Sul, do MDB; e Cemar Arnal e Marcão da Sepriva, do Solidariedade.

A desistência de Liandra aconteceu antes mesmo do início dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito que irá apurar o destino de mais de R$ 55 milhões de recursos do Governo Federal que foram liberados somente no ano passado, para ações de enfrentamento à pandemia em Dourados. Por ser ligada à ex-prefeita Délia Razuk, indicação da vereadora gerou questionamentos nas redes sociais.

Jornal Midiamax