Política

Alan Guedes descarta lockdown, mas diz que vai aumentar restrições em Dourados

O prefeito de Dourados de Dourados, Alan Guedes (PP) disse que no momento não pensa em decretar lockdown na cidade, que está com 97% dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) ocupados por pacientes de coronavírus. Ele afirmou entretanto, que o município irá endurecer ainda mais algumas regras que já estão em vigor na […]

Marcos Morandi Publicado em 10/03/2021, às 09h57 - Atualizado às 13h54

Alan Guedes prepara decreto com medidas mais duras. (Foto: Marcos Morandi).
Alan Guedes prepara decreto com medidas mais duras. (Foto: Marcos Morandi). - Alan Guedes prepara decreto com medidas mais duras. (Foto: Marcos Morandi).

O prefeito de Dourados de Dourados, Alan Guedes (PP) disse que no momento não pensa em decretar lockdown na cidade, que está com 97% dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) ocupados por pacientes de coronavírus. Ele afirmou entretanto, que o município irá endurecer ainda mais algumas regras que já estão em vigor na cidade.

Em conversa com o Midiamax, a respeito da minuta de um decreto do governo do estado que circula nas redes sociais, o prefeito disse que, caso as medidas sejam confirmadas, irá estudar o que poderá ser aplicado na cidade. “Ainda não foi publicado. Vamos aguardar”, afirmou Alan.

“Agora, independente das medidas que serão sugeridas nesse possível decreto, nós vamos adotar medidas mais duras em termos locais. Até o final da tarde nós vamos soltar um decreto hoje e apertar algumas regras e procedimentos”, ressaltando, entretanto, que não haverá lockdown.

“Não haverá lockdown. Estivemos conversando com a área técnica, subsidiados também pelos médicos, de que podemos continuar com alguns serviços, mas sem deixar de apertar a fiscalização e também as regras”, comentou.

Em relação ao toque de recolher a partir das 20h, conforme está sendo veiculado nessa minuta atribuída ao governo do estado, o prefeito de Dourados afirmou que pretende aguardar, antes de tomar qualquer decisão nesse sentido. “Mas a princípio, a nossa ideia é manter às 22h, como já está em vigor”.

Jornal Midiamax