Vidas em risco, diz secretário de Saúde de MS sobre pedidos para reabrir comércio

Secretário coloca Milão como exemplo do que não deu certo

O secretário de saúde de Mato Grosso do Sul Geraldo Resende criticou nesta sexta-feira (27) os manifestos pedindo a reabertura dos comércios. Protestos do tipo acontecem hoje em Dourados e Campo Grande. “Estão colocando a vida das pessoas em risco”, comentou.

Resende aponta Milão, na Itália, que fez campanha para o comércio não parar e depois amargou mais de 4 mil mortes. “Na Itália também houve uma campanha “Milão Não Para”. Um mês depois, são 4 mil mortos. O prefeito se diz arrependido”, aponta.

Para o secretário, comerciantes e pessoas que pedem para retornar às ruas ‘estão indo contra as recomendações de todas as autoridades sanitárias e dos especialistas em infectologia e epidemiologia do mundo inteiro’.

Casos

A atualização do boletim epidemiológico da SES (Secretaria do Estado de Saúde) nesta quinta-feira (26) sobre o novo coronavírus, o Covid-19, mostrou o aumento de um paciente a mais com a confirmação da doença e Mato Grosso do Sul agora tem 25 casos confirmados de coronavírus. O número de casos suspeitos saltou para 53 e novo infectado é um bebê de 3 meses.

“São 9 casos que já saíram da quarentena, 4 pessoas internadas em unidades hospitalares, 2 com alta programada, sendo que uma sai amanhã e a outra na próxima semana e duas em quadro mais grave”, disse Geraldo Resende.

O número de notificações continua subindo e na nova atualização, o número chegou a 388. Os casos descartados somam 299, já que foram identificados como outra doença e os casos excluídos permaneceram em 11. Não há nenhum óbito no Estado.

 

Vidas em risco, diz secretário de Saúde de MS sobre pedidos para reabrir comércio
Mais notícias