Vereadores paraguaios negam traição ao prefeito de Pedro Juan Caballero

Eles votaram a favor de um pedido de intervenção contra José Carlos Acevedo

Três vereadores liberais da cidade de Pedro Juan Caballero, que votaram a favor de um pedido de intervenção contra José Carlos Acevedo, se defenderam dos supostos ataques do prefeito por uma suposta traição ao PLRA  ( Partido Liberal Radical Autêntico).

Eles emitiram uma declaração a respeito dos ataques “infundados e impiedosos” à sua dignidade e à de suas famílias pelo prefeito liberal de Pedro Juan Caballero, que está em seu terceiro mandato na cidade que faz fronteira com Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul que alega perseguição política.

Os vereadores afirmam que , que não se trata de uma perseguição política, mas sim de um processo de acompanhamento da gestão do prefeito por quatro anos, período em que o Executivo municipal não atendeu às demandas do Conselho de instalação de um processo de diálogo, mesmo não respondendo a pedidos de relatórios.

Sobre o assunto, disseram que diante desta situação e sob pressão de setores da cidadania, especialmente correligionários pertencentes a organizações de bairro, decidiram retirar o apoio ao prefeito.

Além disso, os vereadores Martín Leonardo Escobar Deleón, Gloria Elizabeth Escobar e Mario Wernes Niz Echagüe, denunciaram que diante da delicada situação da pandemia do coronavírus ( Covid-19 ), o prefeito utilizou sua própria empresa para distribuir de alimentos às famílias carentes de Pedro Juan Caballero.

“Não se trata de nenhuma perseguição política e traição à causa liberal, nunca desistiremos dos princípios ideológicos do nosso amado Partido Liberal, que o prefeito seja do nosso signo político não significa que devemos admitir ou endossar qualquer irregularidade e menos atos de corrupção “, diz a nota assinada pelos vereadores .

Vereadores paraguaios negam traição ao prefeito de Pedro Juan Caballero
Mais notícias