Vereadores citam ‘insubordinação sanitária’ e pedem mais barreiras contra avanço do Covid

Assunto foi comentado brevemente no começo da sessão desta terça-feira

Vereadores de Campo Grande usaram momentos de fala na sessão desta terça-feira (16) para discutir sobre a pandemia de coronavírus (). Com 3.551 casos confirmados em todo Mato Grosso do Sul, os parlamentares citaram desrespeito às regras e pediram barreira em outros locais, para conter o avanço da disseminação.

“Preocupa muito a questão da insubordinação, falta de ética, de manter distância, de respeitar. Essas causas podem repercutir num descontrole”, disse o vereador Dr. (DEM), que é médico. Ele comentou, ainda, sobre bares e restaurantes cheios na sexta-feira (12), Dia dos Namorados. Tais situações podem, afirma, atrapalhar ‘trabalho exemplar’ dos profissionais de saúde.

A vereadora Dharleng Campos (MDB) complementou o assunto, ressaltando pedido de barreira sanitária no distrito de Anhanduí. “Está a mercê do contágio. Os moradores, a grande maioria, são idoso. Estamos reforçando o pedido”. Ela também é autora de um projeto de lei que determina o uso obrigatório da máscara na cidade – o município avalia adotar a exigência ainda nesta semana.

São 3.551 confirmações da doença em MS, que chega nesta terça-feira (16) a 36 mortes. Em 24 horas, Campo Grande teve 36 testes que indicaram positivo para . Da Câmara Municipal, o vereador Vinicius Siqueira (PSL) se afastou das reuniões, pois, segundo o próprio, teve contato com pessoas contaminadas e já estaria com sintomas. Contudo, aguarda para fazer o exame.

 

Vereadores citam 'insubordinação sanitária' e pedem mais barreiras contra avanço do Covid
Mais notícias