Política

TRE-MS finaliza retotalização dos votos em Campo Grande e diploma Delei Pinheiro

Após retotalização dos votos e novo eleito, bancada do PSD na Câmara de Vereadores passa a seis cadeiras, enquanto a do MDB cai para duas.

Jones Mário Publicado em 18/12/2020, às 17h22 - Atualizado às 17h44

Delei Pinheiro exibe diploma ao lado do juiz eleitoral Paulo Afonso de Oliveira (Foto: Reprodução/Instagram)
Delei Pinheiro exibe diploma ao lado do juiz eleitoral Paulo Afonso de Oliveira (Foto: Reprodução/Instagram) - Delei Pinheiro exibe diploma ao lado do juiz eleitoral Paulo Afonso de Oliveira (Foto: Reprodução/Instagram)

O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) finalizou, na tarde de hoje (18), o processo de retotalização dos votos de Campo Grande nas eleições municipais deste ano. O reprocessamento confirmou a eleição de Delei Pinheiro (PSD), que, na sequência, foi diplomado para tomar posse na Câmara de Vereadores.

Com a retotalização, a soma de votos válidos nas eleições de 2020 passou a 367.327, com a adição dos 3.850 de Delei, antes anulados sub judice. O candidato do PSD conseguiu reverter a impugnação de sua candidatura na Justiça Eleitoral.

A ata do reprocessamento, feito na sede do cartório da 8ª Zona Eleitoral de Campo Grande, coloca Delei Pinheiro entre os 29 vereadores proclamados eleitos. Em contrapartida, o nome de Dharleng Campos (MDB) deixou a lista.

Segundo a ata, o procedimento foi acompanhado por Rogério Machado da Silveira, representante da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil). Já a advogada Letícia Arrais do Carmo representou Delei.

O juiz da 8ª Zona, Paulo Afonso de Oliveira, diplomou o candidato do PSD na sequência, no gabinete da 2ª Vara Cível Residual de Campo Grande, no Fórum Heitor Medeiros. Pelo Instagram, Delei agradeceu aos que contribuíram em sua campanha e prometeu ser “um defensor ferrenho por moradia digna e regularização fundiária”.

Com a confirmação da eleição de Pinheiro, a bancada do PSD na Câmara fica ainda maior, com seis cadeiras. Além dele, foram eleitos pelo partido Tiago Vargas, Beto Avelar, Otávio Trad, Valdir Gomes e Junior Coringa.

Sem Dharleng, a representatividade do MDB cai para duas cadeiras – as de Dr. Loester e Dr. Jamal. A defesa da vereadora prometeu recorrer ao TSE.

Jornal Midiamax