Política

TRE-MS diploma e autoriza posse de Marquinhos, vice e 27 vereadores eleitos em Campo Grande

Dois vereadores não receberam o diploma do TRE-MS durante a solenidade de hoje (16) - Gilmar da Cruz (Republicanos) e Delei Pinheiro (PSD).

Jones Mário Publicado em 16/12/2020, às 18h18 - Atualizado em 17/12/2020, às 10h01

Cerimônia de diplomação dos eleitos em Campo Grande (Foto: Divulgação/TRE-MS)
Cerimônia de diplomação dos eleitos em Campo Grande (Foto: Divulgação/TRE-MS) - Cerimônia de diplomação dos eleitos em Campo Grande (Foto: Divulgação/TRE-MS)

Em cerimônia de aproximadamente uma hora, o TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) diplomou na tarde de hoje (16) Marquinhos Trad (PSD) e Adriane Lopes (Patriota), respectivamente prefeito e vice reeleitos em Campo Grande, com 52,58% dos votos válidos. Além deles, 27 vereadores, entre também receberam o documento, que autoriza os eleitos a tomar posse em janeiro de 2021.

A solenidade começou com 20 minutos de atraso. Os diplomados obedeceram distanciamento social no plenário e evitaram cumprimentos, como medida para frear o contágio pela covid-19.

O juiz da 8ª Zona Eleitoral de Campo Grande, Paulo Afonso de Oliveira, presidiu o evento e entregou os diplomas.

Reinaldo Azambuja (PSDB) não foi. O titular da Segov (Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica), Eduardo Riedel, representou o governador de Mato Grosso do Sul.

Quem marcou presença em nome da Assembleia Legislativa foi o deputado Lídio Lopes (Patriota), marido da vice-prefeita reeleita, Adriane. Ele mesmo entregou o atestado à companheira.

Em discurso, Marquinhos lembra diplomações anteriores

O prefeito reeleito Marquinhos Trad discursou e lembrou de suas diplomações anteriores, com vereador, deputado estadual e prefeito. “Estive aqui pela primeira vez em 2004. Obtive 11.045 votos para vereador. Retornei em 2006. Nesse mesmo lugar, em 2010. Aqui mesmo em 2014. Aqui em 2016, e agora em 2020″, enumerou.

Marquinhos lembrou dos pais e citou nominalmente a esposa, Tatiana Trad, bem como suas filhas e netas. Além disso, falou diretamente aos vereadores eleitos.

“Nenhum vocabulário atingirá a honra, a dignidade, o respeito e o mandato de vocês. Vocês foram consagrados pela população e ponto final. Se um teve 6 mil [votos] e outro teve 1 mil, pouco importa. Lá dentro vocês são todos iguais”, afirmou Marquinhos Trad.

Marquinhos Trad, Diplomação, TRE-MS, Eleições 2020
Marquinhos Trad, prefeito reeleito, com diploma do TRE-MS (Foto: Reprodução)

Já o juiz eleitoral Paulo Afonso de Oliveira se referiu aos vereadores eleitos como “os mais preparados para os predicados que o cargo exige”. O magistrado ainda parabenizou Marquinhos pela reeleição e elogiou o primeiro mandato. “Nossa cidade tem sido regada com cuidado, zelo e amor”.

Foram diplomados os seguintes vereadores eleitos:

Tiago Vargas (PSD) 
Carlão (PSB) 
Zé da Farmácia (Podemos)
João César Mattogrosso (PSDB)
Professor Juari (PSDB)
João Rocha (PSDB)
Silvio Pitu (DEM) 
Professor Riverton (DEM)
Valdir Gomes (PSD) 
Otávio Trad (PSD) 
Beto Avelar (PSD) 
Junior Coringa (PSD) 
William Maksoud (PTB) 
Betinho (Republicanos) 
Camila Jara (PT) 
Dr. Jamal (MDB)
Papy (SD) 
Edu Miranda (Patriota) 
Clodoilson Pires (Podemos) 
Dr. Sandro Benites (Patriota) 
Dr. Loester (MDB) 
Marcos Tabosa (PDT)
Ayrton Araújo (PT) 
Doutor Victor Rocha (PP) 
Ronilço Guerreiro (Podemos) 
Coronel Alírio Vilassanti (PSL)
Prof. André (Rede) 

Por falta e decisão judicial, dois vereadores eleitos não recebem diploma

Apesar de reeleito, Gilmar da Cruz (Republicanos) faltou à solenidade.

Beneficiado por decisão do TRE-MS mais cedo, Delei Pinheiro (PSD) não recebeu diploma nesta tarde. Isto porque a nova totalização dos votos exige o acompanhamento dos partidos políticos, do Ministério Público e da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Por força de resolução do TSE, as entidades devem ser convocadas com pelo menos dois dias de antecedência à diplomação. Com isso, a tendência é que o candidato do PSD receba o documento que autoriza sua posse na sexta-feira (18).

Prejudicada pela decisão, a vereadora Dharleng Campos (MDB) também não foi diplomada. Ela perdeu sua cadeira com a entrada de Delei. Sua defesa anunciou que vai recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Jornal Midiamax