Política

Delei volta à Câmara e TRE-MS vai retotalizar votos para vereadores em Campo Grande

O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) acolheu o recurso do vereador eleito de Campo Grande Delei Pinheiro (PSD) e derrubou o indeferimento de seu registro. O julgamento foi concluído na manhã desta quarta-feira (16). Após pedir vistas, o juiz Daniel Castro Gomes da Costa decidiu hoje acompanhar o relator. Ao final, […]

Adriel Mattos Publicado em 16/12/2020, às 09h16 - Atualizado às 12h27

Delei Pinheiro recebeu 3.850 votos, que ficaram anulados sub judice (Foto: Reprodução/Facebook)
Delei Pinheiro recebeu 3.850 votos, que ficaram anulados sub judice (Foto: Reprodução/Facebook) - Delei Pinheiro recebeu 3.850 votos, que ficaram anulados sub judice (Foto: Reprodução/Facebook)

O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) acolheu o recurso do vereador eleito de Campo Grande Delei Pinheiro (PSD) e derrubou o indeferimento de seu registro. O julgamento foi concluído na manhã desta quarta-feira (16).

Após pedir vistas, o juiz Daniel Castro Gomes da Costa decidiu hoje acompanhar o relator. Ao final, o presidente da Corte, João Maria Lós, anunciou a retotalização dos votos das eleições de 2020.

Com isso, Delei volta à Câmara Municipal após sete anos. Ele teve o mandato cassado em 2013, mas uma decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) permitiu que ele concorresse.

A chegada de Delei amplia a bancada do PSD para seis cadeiras e tira uma das mulheres da Casa, a vereadora Dharleng Campos (MDB). A parlamentar tem a possibilidade de recorrer da sentença.

Primeiro dia

No primeiro dia de julgamento, na segunda-feira (14), o relator do processo, juiz Djailson de Souza, votou para reconhecer a regularização de Delei Pinheiro perante a Justiça Eleitoral e, assim, aceitar sua candidatura. 

Isto porque Delei aproveitou a reabertura do cadastro eleitoral, na semana passada, e fez o recadastramento biométrico. Seu registro foi barrado exatamente devido à falta na revisão biométrica de 2018 do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Acompanharam o voto do relator o desembargador Divoncir Schreiner Maran e os juízes Ariovaldo Nantes Corrêa, Juliano Tannus e Monique Marchiori Leite.

Jornal Midiamax