Senadoras de MS são contra PEC que prolonga mandato de prefeito e unifica eleições em 2022

Nelsinho Trad é coautor de PEC

As senadoras Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (PSL) são contra a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 19/2020, que quer aumentar o mandato dos prefeitos e vereadores eleitos em 2016 para 6 anos por conta da do novo coronavírus e unificar as eleições em 2022.

O senador Nelsinho Trad (PSD) é coautor da proposta, apresentada pelo senador Wellington Fagundes (PL), do Mato Grosso. A ideia é tornar as eleições em gerais, ou seja, para Presidente da
República, Governadores de Estado e do Distrito Federal, Prefeitos, Senadores, Deputados Federais, Deputados Estaduais e Vereadores, a partir de 2022.

Simone Tebet é contra a PEC, mas afirma que sobre o adiamento, não é uma ‘questão de concordar, achar ou querer. Estamos nas mãos da Covid-19. Tudo vai depender de quando poderemos estar em filas ou aglomerações com segurança, mas já há maioria no parlamento para votar pelo menos o adiamento da eleição para novembro e dezembro.”, disse.

Soraya concorda com a parlamentar em adiar as eleições por, no máximo, 120 dias, encerrado o estado de calamidade pública, mas não prorrogando por tanto tempo os mandatos atuais. “É necessário que seja considerado o adiamento das eleições para preservar a saúde das pessoas e também para que elas possam ir às urnas com a serenidade e calma que esse momento de escolha dos representantes exige”.

A justificativa da PEC 19/2020 é de que os prazos eleitorais não conseguirão ser cumpridos sem colocar em risco eleitores, candidatos e a população em geral. “A grave do Covid-19 provocou a interrupção de inúmeras atividades, além do adiamento de eventos e eleições no mundo inteiro, como as eleições municipais na França”, traz o texto da PEC.

Os senadores alegam, também, que não haverá tempo para os candidatos deste ano se planejarem adequadamente por conta da , além do aproveitamento de recursos da Justiça Eleitoral deste ano para o combate à doença e economizar, a partir de 2022, o custo com as eleições deixando os pleitos de quatro em quatro anos e não bienalmente como ocorre atualmente.

 

Senadoras de MS são contra PEC que prolonga mandato de prefeito e unifica eleições em 2022
Mais notícias