Secretário de obras preso em operação do Gaeco é exonerado do cargo

A investigação aponta celebração de contratos com empresas privadas que emitiriam notas de conserto de veículos da frota municipal sem nunca prestar os serviços

O secretário de Obras do município de Bandeirantes, a 69 quilômetros de Campo Grande, Marcos Antônio Rodrigues foi exonerado do cargo, após ser preso durante a Operação Sucata Preciosa desencadeada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Atuação ao Crime Organizado) na última terça-feira (2).

Durante a operação, equipe do Gaeco esteve na casa de Rodrigues que é casado com a secretária de Saúde, Rosa Bortoline Rodrgues. O então secretário foi preso em flagrante, pois foram encontrados 3 estojos de munição calibre 38, intactas. A arma não teria sido localizada, mas o secretário acabou preso em flagrante.

Marcos Antônio Rodrigues foi encaminhado para a delegacia do município, onde foi elaborado o boletim de ocorrência pelo flagrante de posse irregular de arma de fogo.

Com a repercussão da operação e com a prisão, o prefeito Álvaro Urt (DEM) publicou a exoneração de Marcos ainda ontem no Diário Oficial do Município. Ele também foi exonerado do cargo de secretário de Agricultura, Pecuária e Meio Ambiente, pasta que exercia cumulativamente. 

Também foi exonerado do cargo de chefe da Divisão também da secretaria de Obras, Josmar Veríssimo Canhet de Melo. Não há informações se Josmar está sendo investigado.

Sucata Preciosa

Instaurada pela promotoria de Justiça de Bandeirantes, a investigação aponta celebração de contratos com empresas privadas que emitiriam notas de conserto de veículos da frota municipal sem nunca prestar os serviços.

Conforme o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), parte da frota municipal está sucateada ou abandonada em pátios das secretarias de Obras e de Saúde. Mesmo assim, é apurado se a gestão chegou a pagar por supostos consertos.

O trabalho foi deflagrado pelo Gaeco, com o apoio do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros) e do Bope (Batalhão de Choque e do Batalhão de Operações Especiais). Além da sede da prefeitura de Bandeirantes e dos prédios das secretarias de Obras, Saúde e Educação, os mandados foram cumpridos nas residências do prefeito, de servidores e ex-servidores do município de Bandeirantes e de representantes das empresas envolvidas.

Na prefeitura, policiais acompanharam o trabalho da equipe chamando atenção dos moradores. Um veículo do Gaeco também parou em frente à casa da secretária de Saúde, Rosa Bortoline Rodrigues e do secretário de Obras, Marcos Antônio, que são casados. As investigações incluem os crimes de peculato, fraude em licitação, falsidade e corrupção.

Secretário de obras preso em operação do Gaeco é exonerado do cargo
Mais notícias