Questionados sobre reduzir salários, deputados de MS dizem que vão ‘destinar emendas’

Trabalhos legislativos estão suspensos desde 17 de março

Os deputados estaduais de Mato Grosso do Sul foram questionados pelo Jornal Midiamax se abririam mão de metade dos salários para ajudar o Estado no combate ao coronavírus. Em resposta, afirmaram que vão destinar R$ 20 milhões de emendas parlamentares ao Fundo Estadual de Saúde até o fim desta semana.

Jamilson Name (sem partido) afirmou que em uma ação conjunta dos 24 deputados, será feito o repasse de R$ 20 milhões das emendas que cada um tem direito, para o Fundo Estadual de Saúde, que passará aos Fundos Municipais. Segundo Name, cada parlamentar tem valor de emenda de R$ 830 mil.

Pré-candidato a prefeito em Campo Grande, o deputado Pedro Kemp (PT) disse que o presidente da Assembleia, Paulo Corrêa (PSDB), vai anunciar nos próximos dias, que a Casa vai abrir mão de uma parte do duodécimo para que o recurso seja aplicado no combate à pandemia. Kemp respondeu com a mesma mensagem de Jamilson Name, sobre o repasse das emendas.

Antônio Vaz (Republicanos) citou também os R$ 20 milhões em emendas e disse ainda, gastar todo mês, 25% do salário de parlamentar com obras assistenciais. “Do mais, estaremos conversando sobre isso com os deputados”, afirmou.

Herculano Borges (SD) segundo secretário da Casa de Leis, informou que o que puder ser feito dentro da legalidade pode e deve ser feito para aumentar os investimentos na saúde neste momento. “Os deputados juntos irão destinar mais de R$ 20 milhões aos municípios somente em emendas para a saúde”.

Sobre o duodécimo, o parlamentar disse nos anos anteriores, a Casa de Leis devolveu milhões ao Estado. “Creio que este ano vai acontecer o mesmo. “Com relação à verba indenizatória, ela só pode ser usada para despesas, quando não há despesa ela automaticamente não existe, desta forma não tem como ser utilizada”.

Deputados a favor de reduzir metade do salário

Capitão Contar (PSL) concorda em abrir mão de metade do salário para ajudar o Estado durante a pandemia. “Claro que sim, inclusive propus que baixássemos o duodécimo de todos os poderes. Pelo menos 5% de cada. Só o TJMS tem um duodécimo de mais de R$ 1 bilhão. Ajudaria muito. E se possível manter reduzido após a pandemia, como forma de enxugar a máquina pública”.

Cabo Almi (PT) também é favorável, mas só se for uma decisão conjunta. “Se aumentar o número de mortes pelo Covid-19 eu concordo, se o coletivo decidir. Nada é mais importante do que salvar vidas. Se depender de mim, eu abro mão do meu salário, tem meu voto favorável”.

O Jornal Midiamax entrou em contato com 20 dos 24 deputados estaduais e apenas seis responderam os questionamentos.

Governo

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) disse durante entrevista ao vivo nesta segunda-feira (6), ter sido acionado pelos deputados sobre o repasse das emendas. Ele disse que são R$ 36 milhões em emendas e a maioria dos parlamentares decidiram pelo repasse ao Fundo Estadual. “Não precisa fazer convênio, é um dinheiro que transfere automaticamente e o gestor de cada município pode usar o recurso. Vamos finalizar isso essa semana e liberar as emendas”.

Questionados sobre reduzir salários, deputados de MS dizem que vão 'destinar emendas'
Mais notícias