PSD convida Adriane Lopes para continuar como vice de Marquinhos Trad em Campo Grande

Convite foi feito pessoalmente pelo prefeito e decisão deve sair na próxima terça-feira (15)

A vice-prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes (Patriota) recebeu convite pessoal do prefeito (PSD) para disputar novamente as eleições deste ano ao lado dele. A proposta deve ser aceita na convenção do partido, marcada para a próxima terça-feira (15).

A revelação do convite foi feita pelo deputado estadual e presidente regional do Patriota, Lídio Lopes, confirmada por Antônio Lacerda, presidente municipal do PSD e também por Trad.

O prefeito confirmou o convite e disse que o fez, pessoalmente. “Eu estive na casa deles e pedi, perguntei se a Adriane poderia doar mais quatro anos da sua dedicação e competência. Ela disse que vai se reunir, orar e falar comigo”.

Trad está confiante e disse não ter motivos para Adriane recusar a proposta. “Mas eu dei livre arbítrio”. Em outubro do ano passado, o prefeito já tinha afirmado que a vice ideal é Adriane.

‘Em time que está ganhando…’

Segundo Lopes informou ao Jornal Midiamax, o convite à Adriane partiu do PSD. “Teve convite para ela continuar a vice dele. Estamos em fase de discussão e a Adriane tem uma atuação forte no município e sempre esteve alinhada ao prefeito”.

A decisão, segundo Lopes, será na convenção do Patriota. “Vamos definir e encaminhar a decisão ao PSD na próxima terça-feira”. As reuniões dos dois partidos acontecem no mesmo dia. 

Antônio Lacerda confirmou o convite e disse que a legenda atendeu o pedido do prefeito. “Já foi formulado o convite para ela. Existem várias razões para isso, e uma delas é que em time que está ganhando, não se mexe”.

Ainda de acordo com Lacerda, Adriane  fez um bom trabalho, tem afinidade com o prefeito e a primeira-dama. “É uma parceria que tem dado certo e a escolha foi do prefeito”.

Por fim, ele citou o trabalho em conjunto dos dois, durante os quatro anos de mandato.

Folha em dia em Campo Grande, apesar da instabilidade

“Diante de todos os problemas nacionais, desde 2017 a 2020, diante da instabilidade. Período de impeachment da Dilma, entrada do Temer, que loteou os ministérios, depois teve pedido de impeachment, e aí loteou de novo os ministérios para conseguir votos (contra o afastamento), eleição presidencial, que parou Brasília em 2018, e agora a pandemia. Mesmo assim, pagamos as folhas salariais, quando assumimos tinham duas atrasadas, pagamos em dia, devolvemos a segurança. Esse trabalho foi dela também”.

A reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato direto com Adriane Lopes, mas ela estava em agenda interna.

PSD convida Adriane Lopes para continuar como vice de Marquinhos Trad em Campo Grande
Mais notícias