Patrimônio de candidato a reeleição em Anastácio cresceu R$ 5,7 milhões em 4 anos

Nildo Alves, do PSDB, disputa prefeitura com ex-prefeito do MDB e candidata do PSL

Em Anastácio, cidade distante 139 quilômetros de Campo Grande, a disputa pelo comando da prefeitura da cidade conta com três candidatos nas eleições de 2020. Além do prefeito que tenta reeleição, Nildo Alves (), também estão na disputa o ex-prefeito Douglas Figueiredo () e Adriana Elias (PSL). Confira agora detalhes sobre a declaração de bens dos candidatos da cidade.

Atual prefeito, Nildo Alves declarou possuir R$ 53,6 milhões em bens, o patrimônio do político cresceu R$ 5,7 milhões em apenas quatro anos, comparando ao que foi declarado pelo candidatos nas eleições de 2016, quando ele venceu a disputa na cidade.

Há quatro anos, Nildo declarou possuir R$ 47,9 milhões em bens. Entre os itens declarados estavam fazendas, veículos e mais de 11 mil cabeças de gado. Neste ano, nos documentos apresentados à , Nildo também declarou possuir as fazendas, imóveis, máquinas agrícolas entre outros bens. O que chama atenção na declaração do candidato a reeleição é que neste ano o político declarou possuir menos cabeças de gado em suas terras: 7,6 mil animais.

Eleito em 2012 como prefeito de Anastácio, Douglas Figueiredo, do , voltou à disputa este ano. Quando assumiu a prefeitura há 8 anos, Douglas declarou à patrimônio de R$ 440,7 mil, entre veículos, casa e dinheiro em conta. Neste ano, o candidato declarou R$ 736,6 mil em bens, aumento de 67% do patrimônio em 8 anos.

Candidata pelo PSL, Adriana Elias concorreu nas últimas eleições municipais de 2016 ao cargo de vereadora, há quatro anos, ela conquistou posição de suplente pelo PSB e declarou, à época, possuir patrimônio de R$ 517 mil. Neste ano, na disputa à prefeitura, a candidata declarou bens que somaram R$ 612,1 mil.

Todos os dados da declaração de bens dos candidatos são públicos e podem ser consultados no DivulgaCand, neste link.

Patrimônio de candidato a reeleição em Anastácio cresceu R$ 5,7 milhões em 4 anos
Mais notícias