Pandemia de covid-19 eleva estimativa de abstenção nas eleições para 30% no Estado

Locais de votação com maior quantidade de seções ainda ganharão reforço na fiscalização das medidas de biossegurança

A pandemia de novo coronavírus pode elevar o índice de abstenção nas eleições deste ano para 30%. O (Tribunal Regional Eleitoral) prepara reforço na organização dos locais de votação com mais seções a fim de garantir a segurança dos eleitores.

Segundo o chefe de cartório da 44ª Zona Eleitoral de Campo Grande, Wilson de Alencar Borba, a taxa de abstenção costuma ficar na casa dos 17%.

Para evitar aglomerações, o (Tribunal Superior Eleitoral) aumentou em uma hora o horário de votação, que este ano vai das 7h às 17h. As primeiras três horas, ou seja, até 10h, são reservadas às pessoas com mais de 60 anos, parte do grupo de risco da covid-19.

Pandemia de covid-19 eleva estimativa de abstenção nas eleições para 30% no Estado
Wilson Borba, chefe de cartório da 44ª Zona Eleitoral de Campo Grande (Foto: Leonardo de França/Midiamax)

“Nas escolas com muitas seções, além de tomar todas as medidas de segurança, vamos colocar mais gerentes de sessão para garantir que os eleitores respeitem o distanciamento e as demais regras de biossegurança”, disse Borba.

Durante a solenidade que marcou o início da geração de mídias das urnas eletrônicas, o diretor-geral do , Hardy Waldschmidt, afirmou que a maior preocupação é com as filas nos locais de votação. “Do lado de fora não tem como controlar. Nosso papel é organizar depois que entram”, apontou.

Os votantes deverão respeitar distância mínima de 1,5 metro entre eles nas filas. Os 24 mil mesários convocados vão receber máscaras, escudos de proteção facial e álcool em gel – um frasco para cada voluntário.

Caneta na mão

O tribunal reforça que, sem a biometria, é importante cada eleitor levar a própria caneta para assinar presença. Os mesários não terão qualquer contato com o eleitor e seus documentos. “O único local que a pessoa vai encostar é na urna”, resumiu Waldschimidt.

“É importante que as pessoas exerçam a democracia, mas com segurança. Em primeiro lugar estão as vidas delas. Se não se sentirem seguras ou com sintomas de covid-19, o melhor a fazer é ficar em casa e justificar a ausência depois”, concluiu o diretor-geral.

O primeiro turno das eleições deste ano será no dia 15 de novembro. Onde houver necessidade, o está marcado para o dia 29 do mesmo mês.

Pandemia de covid-19 eleva estimativa de abstenção nas eleições para 30% no Estado
Mais notícias