Pacote para acalmar empresas e trabalhadores e volta gradativa de comércio, defendem vereadores

Qualquer medida, no entanto, tem de ser tomada baseada em recomendações da área de saúde

Medidas que abrangem retomada de comércios devem estar baseadas em fatos e recomendações da saúde, não em ‘achismos e opiniões’, avaliam os vereadores André Salineiro (DEM) e Papy (SD).

“Não podemos manter as restrições ao comércio por um período de tempo indeterminado. Ao mesmo tempo, não podemos ignorar o posicionamento dos profissionais da saúde”, disse Salineiro. O vereador pondera que o Executivo municipal precisa divulgar ‘urgentemente’ um pacote de incentivos fiscais, para acalmar empresários e trabalhadores, que, “com toda razão, estão desesperados”.

Neste momento de crise, acrescenta, muitos comércios estão reabrindo em virtude do desespero econômico e necessidade de sustento. “O Prefeito sinalizou a abertura a partir do dia 06, caso continue estável o contágio”.

Pacote para acalmar empresas e trabalhadores e volta gradativa de comércio, defendem vereadores
Vereador Dharleng Campos/ (Divulgação/CMCG/Arquivo).

De modo parecido avalia a vereadora Dharleng Campos (MDB). Para ela, quem pode ficar em casa, deve, mas o poder público precisa ‘urgentemente’ amparar as famílias no que diz respeito à renda. ” Entrei com alguns projetos em benefício da população para deixar as nossas famílias um pouco mais tranquilas dentro de casa”.

 

 

 

Papy afirma que qualquer medida adotada sobre o Covid-19 deve estar ancorada em ‘quadro técnico da saúde e do campo econômico’. “Se essas duas áreas trabalharem, juntos a gente vai seguir o caminho mais seguro”. O parlamentar vê como ‘aceitável’ a flexibilização das medidas restritivas depois do confinamento ‘mais rígido’, aos poucos monitorar e reabrir o for possível.

A Prefeitura de Campo Grande cogita reabrir de forma gradativa o comércio, a partir de 7 de abril. Contudo, a princípio a informação é de que escolas e shoppings permanecerão com as atividades suspensas.

Pacote para acalmar empresas e trabalhadores e volta gradativa de comércio, defendem vereadores
Mais notícias