MPF vai apurar ‘indevida interferência’ de Mandetta na aprovação da Previdência

Inquérito tem como alvo também os presidentes da República, Jair Bolsonaro, e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) é alvo de inquérito civil aberto pelo MPF (Ministério Público Federal) que vai investigar “indevidas interferências” na aprovação da Reforma da Previdência. Além dele, o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) também são alvos.

A portaria foi publicada no Diário Oficial do MPF, de quarta-feira (15), e é assinada pelo procurador da República Carlos Bruno Ferreira da Silva. O pedido de apuração partiu dos deputados do PSOL David Miranda (RJ)), Edmilson Rodrigues (PA), Fernanda Melchionna (RS), Áurea Carolina (MG), Glauber Braga (RJ). Em meio às discussões sobre a reforma da Previdência, em julho passado, o Governo Federal liberou quase R$ 1 bilhão em emendas parlamentares vinculadas à área de saúde para 25 estados.

Segundo noticiado pelo site Congresso em Foco, os parlamentares acusam Bolsonaro de ter comprado votos para aprovação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição), por meio de liberação de emendas. Não há detalhes sobre a suposta atuação do ministro. A reportagem enviou pedido de posicionamento do ministro e aguarda resposta.

MPF vai apurar 'indevida interferência' de Mandetta na aprovação da Previdência
Mais notícias