Mesmo Alcolumbre candidato, Simone concorre, diz Rocha sobre presidência do Senado

Senado estuda mudar regras para que Alcolumbre concorra à reeleição

“Ela [Simone] vai disputar a presidência do Senado em 2021. Talvez até contra o Alcolumbre”, declarou o deputado estadual Eduardo Rocha (MDB) sobre a senadora Simone Tebet (MDB) nesta terça-feira (11), ao ser questionado sobre a possível mudança de regras em Brasília para que o senador Davi Alcolumbre (DEM) concorra à reeleição.

A possibilidade foi apontada pelo também senador de Mato Grosso do Sul Nelsinho Trad (PSD) em entrevista ao Programa Poder Em Foco, do SBT, que destacou que Alcolumbre teria a maioria dos votos da Casa. Perguntado se Simone teria a intenção de apoiar à reeleição, Rocha reafirmou que a intenção da senadora é concorrer.

Pela regras atuais, o artigo 59 do Regimento Interno do Senado proíbe a possibilidade de membros da Mesa Diretora da Casa serem reconduzidos aos cargos no período imediatamente subsequente ao que foram eleitos. David Alcolumbre assumiu a presidência em fevereiro de 2019 e seu mandato é válido por dois anos, ou seja, acaba em 2021.

Durante a entrevista concedida ao jornalista Fernando Rodrigues, Nelsinho foi questionado se teria uma fórmula para reeleger o atual presidente do Senado. Trad respondeu que Alcolumbre é uma pessoa democrática. “Ele foi uma grata surpresa. Ele é excessivamente democrático, partilha a responsabilidade da condução do senado com os líderes. Ele gerou uma pacificação dentro da Casa”, elogiou.

Questionado se outros senadores podem contestar a possível mudança de regras, o senador sul-mato-grossense disse que cresceu o número de apoiadores de Alcolumbre. “Hoje o David tem apoio da grande maioria (dos senadores), ele ganhou com 42 votos e hoje tem no mínimo 50 a 55”, afirmou.

Mais notícias