Janela partidária deve abrir ‘clima de eleição’ em Campo Grande, diz João Rocha

Período em que os vereadores poderão mudar de partidos começa daqui uma semana

Quando a janela partidária abrir, o clima de eleição que até então está tímido, começará de fato, avalia o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador João Rocha (PSDB). A partir de quinta-feira (5 de março), os vereadores poderão trocar de partidos caso queiram. A permissão vale até 3 de abril.

Contudo, mesmo antes disso, a movimentação nos bastidores é intensa e já há quem bata o martelo sobre o rumo partidário, como é o caso do vereador André Salineiro, que deixará o PSDB para entrar no DEM. Pelo menos 8 parlamentares também devem trocar de siglas.

“Já vai dar ideia da movimentação política e nós vamos começar a sentir a temperatura e viver um clima de eleição”, opina João Rocha. O parlamentar permanece no ninho tucano a espera de definição sobre eventual aliança entre PSDB e PSD, do prefeito Marquinhos Trad.

Apesar da dança das cadeiras, o presidente repetiu que a movimentação política não vai atrapalhar o trabalho dos vereadores dentro da Casa de Leis. Regras eleitorais já existem, mas portarias serão emitidas pela Câmara Municipal como forma de complementar as restrições impostas.

Divulgação de material de campanha, reuniões ou propagandas nas dependências da sede do Legislativo municipal são algumas das proibições. “Mas creio que, independentemente de portarias, os vereadores têm entendimento”.

Candidato a vice?

Rocha confirmou novamente que é um dos cotados a candidato a vice-prefeito de Marquinhos, em uma eventual parceria entre PSDB e PSD. “Mas é necessário que haja entendimento”, repetiu. Se houvesse pesquisa entre os colegas da Câmara Municipal, certamente o seu nome seria definido como vice, brincou o presidente após comentários de colegas sobre sua indicação. Líder do prefeito na Casa de Leis, vereador Chiquinho Telles (PSD), já havia comentado a respeito da possível composição.

Mais notícias