Fundador do MDB, Roberto Orro foi perseguido e preso na ditadura

Assembleia decretou em homenagem a seu ex-presidente

Falecido ontem, segunda-feira (23), aos 83 anos, o ex-deputado estadual Roberto Orro teve parte da sua carreira marcada na luta contra a militar. Advogado, ele chegou a ser preso por agentes do regime.

Orro passou em seguida a atuar fortemente contra a , sendo um dos fundadores do MDB, legenda de oposição aos militares. Foi eleito vereador de sua cidade natal, Aquidauana, em 1976.

Dois anos depois, chegou à ( do Estado de Mato Grosso do Sul), na primeira legislatura da Casa. Cumpriu ao todo cinco mandatos. Foi segundo suplente do senador Saldanha Derzi, eleito em 1986.

Por apenas uma legislatura, ele deixou a Casa de Leis para assumir a Secretaria de Estado de Justiça, convidado pelo então governador Marcelo Miranda Soares. Defensor dos direitos humanos, criou conselhos de defesa da mulher, do índio, do negro e penitenciário.

Na sua gestão, implantou o “embrião” da (Unidade Educacional de Internação). As casas de recuperação recebiam os menores infratores, que até então eram encaminhados para penitenciárias com adultos.

Na volta à Assembleia, chegou ao cargo máximo. Foi presidente da Casa entre 1995 e 1997, abrindo mais espaço para debates, principalmente sobre meio ambiente.

Em 2006, por iniciativa própria, encerrou a carreira política. Mas não deixou de militar. “Eu continuo com os mesmos ideais, e continuo lutando. Mas agora estou em outra fase da minha vida, quero mais tempo para ficar ao lado da minha família, da minha mulher, valorosa, que sempre me ajudou. Encontro com amigos, bate-papo, e assim vou levando a vida. Se alguém me perguntar se eu me arrependo de alguma coisa que fiz, eu digo de peito aberto que não me arrependo de nada”, disse em entrevista à TV em 2011.

Morte

Orro faleceu na noite de ontem, devido a uma hipertensão craniana, segundo a . Ele lutava há alguns anos contra diversos problemas de saúde, tendo sido internado várias vezes nos últimos meses.

O velório ocorreu na manhã de hoje e o enterro será em Aquidauana. O decretou luto oficial por três dias, ato seguido pela .

Na sessão desta terça, os parlamentares fizeram um minuto de silêncio em homenagem ao ex-deputado. Filho de Orro, Felipe Orro (PSDB) não participou.

Fundador do MDB, Roberto Orro foi perseguido e preso na ditadura
Mais notícias