Ex-prefeita de Campo Grande é condenada à prisão por racismo: ‘preto nasceu pra me servir’

Pena foi substituída por pagamento de salário à instituição de caridade

A ex-prefeita de Campo Grande Nelly Elias Bacha foi condenada a um ano de reclusão, com pena substituída por pagamento de um salário mínimo a instituição de caridade, por ter injuriado racialmente uma desconhecida dela na fila do supermercado. A decisão é do juiz Roberto Ferreira Filho, da 1ª Vara Criminal. A decisão foi publicada no Diário da Justiça da terça-feira (19).

De acordo com o relato da vítima, ela apenas fez uma pergunta ao atendente do açougue, quando ouviu a ex-prefeita orientar a funcionária que a acompanhava para que não deixasse a mulher passar na frente delas. “Passa na frente! Entra na frente dessa preta que eu tenho mais o que fazer. Preto nasceu para me servir”, disse Nelly, segundo consta no boletim de ocorrência, em relato confirmado por mais três testemunhas.

A vítima resolveu representar criminalmente contra a ex-prefeita em 2014 e Nelly foi condenada nesta semana a 1 ano de reclusão e 10 dias-multa, esta no valor unitário de 1/30 do salário mínimo vigente à época dos fatos.

No entanto, a defesa de Nelly provou nos autos que a ex-prefeita é ré primária, tem 79 anos, portanto é idosa e que está acamada com doença de Parkinson. Portanto, a pena foi reduzida ao pagamento de 1 salário mínimo a uma instituição de caridade.

 

Ex-prefeita de Campo Grande é condenada à prisão por racismo: 'preto nasceu pra me servir'
Mais notícias