Era a voz do Conesul no Governo de MS, diz prefeito sobre secretário morto a tiros

Dirceu Lanzarini foi morto a tiros e acusado de cometer o crime ainda está foragido

O ex-prefeito de Amambai , morto a tiros na segunda-feira (24), era voz do Conesul, consórcio composto por 14 cidades da região sul de Mato Grosso do Sul, dentro do Governo do Estado. A avaliação é do atual chefe do Executivo daquele município, Edinaldo Bandeira (PSDB).

Era a voz do Conesul no Governo de MS, diz prefeito sobre secretário morto a tiros
Prefeito de Amambai, Edinaldo Bandeira. (Divulgação Facebook).

“A morte dele trouxe, para nós, uma perda muito significativa”, lamenta o prefeito, que preside o PSDB em Amambai, mesmo partido de Dirceu. Ele era secretário especial do Executivo estadual. Articulado e ‘cheio de planos’, o ex-prefeito era visto pelos prefeitos como um ponto de apoio para projetos e ações na região sul.

O crime aconteceu na propriedade rural do ex-prefeito e a polícia ainda procura Luiz Fernandes, conhecido como “Paraguaio”, acusado de matar Dirceu. Ele era funcionário na propriedade há 10 anos.

Segundo informações passadas da Polícia Civil, Luiz teria premeditado o assassinato do ex-prefeito, já que havia deixado a família na fazenda e quando encontrou Lanzarini estava armado, o que segundo o delegado Werneck não era seu costume.

Os dois primeiros disparos foram à queima-roupa, segundo a polícia. Os tiros atingiram o ex-prefeito e o outro disparo o genro de Lanzarini. Equipes seguem em buscas por Luiz Fernandes, que está foragido desde o crime.

O sepultamento ocorreu no fim da manhã de terça-feira (25) e o Estado publicou nesta manhã o decreto de luto oficial pela morte do ex-prefeito de Amambai .

Era a voz do Conesul no Governo de MS, diz prefeito sobre secretário morto a tiros
Mais notícias