Em Nova Andradina, candidatos a prefeito aumentaram patrimônio em até 58%

Cidade tem cinco postulantes na disputa, incluindo o atual chefe do Executivo

Nova Andradina, cidade no sudoeste de Mato Grosso do Sul, tem cinco candidatos à prefeitura em 2020. Destes, dois ficaram mais ricos, se for comparada a declaração de bens deste ano com pleitos anteriores.

Os dados foram levantados pelo Jornal Midiamax com base nas declarações disponibilizadas no sistema DivulgaCand Contas (Divulgação de Candidaturas e Contas), do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Ex-secretário de Administração do governo (PSDB), , do mesmo partido, foi o que apresentou a maior evolução patrimonial. 

Quando tentou voltar à prefeitura, em 2016, informou ter R$ 3,5 milhões. Quatro anos depois, declarou R$ 5,6 milhões, o que representa aumento de 58,9%. Entre seus bens, estão casas, apartamento, terrenos, propriedades rurais e investimentos.

Atual prefeito, Gilberto Garcia (PL) declarou R$ 457,7 mil há quatro anos. Agora, seu patrimônio aumentou 49,32%, chegando a R$ 683,4 mil, entre imóveis e investimentos. Como chefe do Executivo, o liberal recebe salário de R$ 23 mil.

Outros candidatos

Luiz Tadao (PT) declarou R$ 325,5 mil em bens, sendo uma casa de R$ 200 mil e caminhonete Chevrolet S10, ano 2008, avaliada em 125,5 mil.

Moammar El Abed () informou ter R$ 5 milhões, entre casas, terrenos, prédios comerciais, propriedades rurais e veículos.

Omar Miguel (PSL) apresentou declaração de R$ 232,6 mil, que inclui bens como carro, barco, dinheiro em espécie, aplicação em poupança e investimentos.

Em Nova Andradina, candidatos a prefeito aumentaram patrimônio em até 58%
Mais notícias