Covid-19 dificulta campanha, mas partidos acreditam em mais contato após queda de casos

Dirigentes veem início virtual e apostam no arrefecimento da pandemia nas semanas finais da disputa

Marcadas pela pandemia de , as eleições municipais deste ano serão um desafio para os candidatos, avaliam dirigentes partidários ouvidos pelo Jornal Midiamax. A campanha deve começar virtual, mas eles espera que eventos presenciais ocorram próximo a novembro caso a taxa de contágio diminua.

Presidente estadual do , Vladimir Ferreira destacou que a maioria das reuniões estão ocorrendo de forma virtual. “Estamos seguindo as orientações da SES [Secretaria de Estado de Saúde] e se reunindo pelo Zoom e pelo [Google] Meet”, explicou o dirigente, em referência a plataformas de videoconferência.

Ferreira demonstrou preocupação com o desenrolar da campanha na internet. “Vai ser um ambiente contaminado não só por fake news. Isso vai fazer com que as pessoas se distanciam das redes”, disse o dirigente, que também é presidente da Câmara Municipal de Coxim.

Covid-19 dificulta campanha, mas partidos acreditam em mais contato após queda de casos
Vladimir Ferreira, presidente do de Mato Grosso do Sul e da Câmara de Coxim. (Foto: Arquivo pessoal)

“O início dessa campanha vai ser frio, mas acredito que a tendência é que melhore em outubro”, afirmou, destacando que eventos presenciais só devem ocorrer caso a pandemia dê sinais de arrefecimento.

O dirigente citou pesquisa interna do partido que apontou que 70% dos entrevistados não querem receber candidatos em suas casas. 

Para o presidente municipal do PSDB em Campo Grande, vereador , essa será uma campanha atípica. “Será difícil. Não teremos mais reuniões com 200 a 300 pessoas. Quem tem trabalho para mostrar, terá que fazer chegar ao conhecimento do eleitor”, frisou.

O partido também precisou aderir à videoconferência, mas ainda realiza encontros internados limitados até seis pessoas.

O parlamentar aponta que a conquista de cada voto será como “de grão em grão”. “Eu torço para a situação dessa pandemia melhore, porque político precisa estar em contato, dar a cara a tapa e vender seu peixe”, finalizou.

O mesmo pensamento tem o presidente municipal do MDB em Campo Grande, Ulisses Costa. Ele também espera que a pandemia passe para que a campanha volte ao normal.

“Espero que consigamos nos livrar do [novo] coronavírus, porque as pessoas precisam estar em contato com os candidatos. Ainda mais em eleições municipais, que traz problemas do cotidiano para discussão”, ressalta.

Covid-19 dificulta campanha, mas partidos acreditam em mais contato após queda de casos
Presidente do diretório municipal, . (Foto: Leonardo de França, Midiamax, Arquivo).

O MDB também descartou grandes encontros e também reúne internados até quatro pessoas, apostando em videoconferências para mais filiados.

O prazo para as legendas definirem seus candidatos nas convenções terminam em 16 de setembro. O primeiro turno está marcado para 15 de novembro e a segunda rodada deve ocorrer na Capital no dia 29 do mesmo mês.

Covid-19 dificulta campanha, mas partidos acreditam em mais contato após queda de casos