Política

‘Diminui bancada que já é sofrida’, lamenta Dharleng sobre decisão que pode tirá-la da Câmara

A vereadora Dharleng Campos (MDB)) lamentou o resultado do julgamento que pode lhe tirar a vaga para qual foi reeleita na Câmara Municipal de Campo Grande. Em audiência na segunda-feira (14), o TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) formou maioria para reformar acórdão e derrubar a impugnação à candidatura de Delei Pinheiro […]

Mayara Bueno Publicado em 15/12/2020, às 08h15 - Atualizado às 11h11

Vereadora Dharleng Campos. (Foto: Izaias Medeiros, CMCG, Arquivo).
Vereadora Dharleng Campos. (Foto: Izaias Medeiros, CMCG, Arquivo). - Vereadora Dharleng Campos. (Foto: Izaias Medeiros, CMCG, Arquivo).

A vereadora Dharleng Campos (MDB)) lamentou o resultado do julgamento que pode lhe tirar a vaga para qual foi reeleita na Câmara Municipal de Campo Grande. Em audiência na segunda-feira (14), o TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) formou maioria para reformar acórdão e derrubar a impugnação à candidatura de Delei Pinheiro (PSD).

Porém, o juiz Daniel Castro Gomes da Costa pediu vistas dos autos e adiou para a sessão desta quarta-feira (16), às 9h, a decisão que pode garantir vaga na Câmara de Vereadores de Campo Grande ao concorrente do PSD. Se a Justiça Eleitoral derrubar a impugnação, seus votos passam a ser válidos e provocam uma nova totalização dos resultados da eleição. Assim, o PSD deve ganhar mais uma vaga na Câmara. Em contrapartida, o MDB pode perder uma de suas três cadeiras.

“Espero que não diminua a bancada [feminina], que já é sofrida”. Atualmente, além dela, Cida Amaral (PSDB), encabeça pauta voltadas à defesa da mulher e são as únicas entre 27 homens. Contudo, a vereadora tucana não foi reeleita para mais quatro anos. Camila Jara (PT), eleita neste ano, pode ser a única mulher em 2021, já que Dharleng corre o risco de ficar sem sua vaga. Ela foi a com menor desempenho entre os eleitos.

Para a parlamentar, o ideal seria que mais mulheres fossem eleitas. “Cida é uma grande vereadora, do bem, que se dedica às mulheres, assim como eu, é bem ruim [a baixa representatividade feminina na Câmara]”. Agora, afirma, vai esperar o julgamento conclusivo, que deve ocorrer na quarta-feira (16). “A partir do resultado, vou ver quais caminhos seguir. Estou preparada para qualquer tipo de resultado”.

Jornal Midiamax