Deputados fazem apelo a Reinaldo para rever decisão de manter aulas em MS

Apelos foram feitos para MS conter disseminação do Coronavírus, com quatro casos confirmados

Deputados estaduais fizeram apelo ao governo estadual e principalmente à SED (Secretaria de Educação) para rever a decisão de manter as aulas na rede estadual de ensino em plena pandemia de Coronavírus. Os pedidos foram feitos durante a sessão parlamentar desta terça-feira (17).

O governo estadual anunciou na segunda-feira (16) que não vai suspender as aulas pelo menos por enquanto, por ter avaliado não ser necessário. Reinaldo Azambuja (PSDB) levou em conta apenas dois casos confirmados de COVID-19 até ontem. Na tarde de segunda-feira, já eram quatro casos confirmados. 

Nesta terça-feira (17), Barbosinha (DEM) pediu a avaliação do governo sobre a decisão. “Os municípios tomaram providências e acho que a rede estadual também deve parar. Essa questão embora não tenha que alarmar, não temos estrutura para poder cuidar dos pacientes na forma como outros países estão lidando”.

O parlamentar comentou ser necessário ter medidas emergenciais e quarentena para conter a circulação do vírus. “Até passar esse momento de intenso temor é preciso tomar medidas, como os municípios tiveram, as universidades também. A rede estadual deve reavaliar as decisões tomadas”.

Pedro Kemp (PT) usou a tribuna e também fez um apelo para a suspensão aulas nas escolas estaduais durante a pandemia. “Acredito que governo tenha sua avaliação e está sendo orientado por técnicos, mas precisamos sensibilidade do governo para suspender as aulas na escolas”.

Conforme Kemp, o Estado não pode correr o risco de disseminar o vírus. “A escola concentra mil pessoas entre alunos, professores e funcionários. Um aluno só com Coronavírus, pode espalhar rapidamente para várias pessoas. É uma questão de prevenção”.

Neno Razuk (PTB) criticou o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende. “O secretário errou. Enquanto a OMS emite nota falando que só o isolamento vai controlar o vírus, o Geraldo acaba deixando passar uma situação como essa”. 

Marçal Filho (PSDB) falou que o Brasil não tem condições de atender demanda alta de doenças. “Já não tem no dia a dia, imagina se tiver explosão de casos do coronavírus. Tem que tomar medidas a respeito disso para evitar os picos, todos os especialistas da área chamam atenção para isso, temos que acreditar em quem entende do assunto. Paraguai, país do nosso lado fechou a fronteira, há que se fazer isso”.

Lídio Lopes (Patriota) disse que o brasileiro é muito tranquilo, não consegue imaginar o reflexo do coronavírus. “A contaminação é rápida, país populoso, as escolas estão suspendendo aulas e pai pegando filho e indo pra praia achando que lá não circula o vírus. É para ficar em quarentena, esse é um apelo mundial para que as pessoas se recolham em suas casas”. 

Gerson Claro (PP), líder do governo na Casa de Leis, disse que existe passo a passo a partir de orientação técnica. “Cada ação necessária será tomada dia a dia. O governador está bem orientado e preparado para tomar as ações necessárias para conter o vírus”.

Deputados fazem apelo a Reinaldo para rever decisão de manter aulas em MS
Mais notícias