Marçal cogita ‘passar o chapéu’ entre deputados para pagar custo da CPI da Energisa

Dinheiro seria para contratação de análises e técnicos que contribuam com a investigação

O deputado Marçal Filho (PSDB) sugeriu aos colegas da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul que cedam parte da verba de consultoria à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga a Energisa, concessionária de energia no Estado.

Segundo o deputado, o dinheiro serviria para pagar consultores e análises técnicas a respeito do contrato e assim promover um ‘resultado conclusivo’. “Sou questionado sobre o andamento da CPI”, disse o deputado ressaltando que, com pouca estrutura, o colegiado pode não dar resultado efetivo.

Marçal disse que o presidente da CPI, deputado Felipe Orro (PSDB), comentou da verba a qual cada parlamentar teria direito. Informação mais recente da investigação é sobre parecer técnico que atestou irregularidade na medição de consumo realizada por relógio da Energisa. A constatação chegou ao colegiado como denúncia.

Para apurar a possibilidade de irregularidade na medição, o presidente da CPI, Felipe Orro (PSDB), convocou o contratante e o responsável pelo parecer para prestarem depoimento na próxima sessão, marcada para 11 de março.

Marçal cogita 'passar o chapéu' entre deputados para pagar custo da CPI da Energisa
Mais notícias