“Deixe a história falar por si”, comenta Simone Tebet sobre participação de Bolsonaro em ato

Contrariando recomendação do próprio Ministério da Saúde em meio à crise do coronavírus, presidente esteve em manifestação pró-governo

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) preferiu não dar declarações sobre o fato de o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ter incentivado e participado de uma manifestação pró-governo no domingo, contrariando recomendações de isolamento por parte do Ministério da Saúde, diante da declaração de pandemia de coronavírus pela Organização Mundial da Saúde (OMS). “Sobre isso, deixe que as imagens e história falem por si”, comentou.

Bolsonaro chegou a ser testado para o coronavírus após voltar de uma viagem para os Estados Unidos, em que vários membros da comitiva – incluindo o senador Nelsinho Trad (PTB-MS) – tiveram confirmada a contaminação pelo corona.

O presidente testou negativo para o Covid-19, mas, por orientação do  Ministério da Saúde, deveria manter o isolamento e fazer um novo teste, caso apresente sintomas tardios. Bolsonaro, no entanto, participou das manifestações deste domingo, que causaram aglomerações em várias cidades do Brasil, e tinham como alvo membros do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele deve fazer um novo teste amanhã (17).

Na semana passada, Simone já havia manifestado preocupação, em entrevista concedida ao Jornal Midiamax, sobre convocações de manifestações por parte de bolsonaristas em meio à crise de contágio do coronavírus. “Uma única pessoa na Paulista pode contaminar vários num espaço muito pequeno. Um infectado contamina 20 ao redor, que contaminam 400 em uma semana, e esses 400 já contaminaram 1.600 na semana seguinte. Então temos que pensar que nós temos condições de nós manifestar de outras formas, nas redes sociais, dando entrevistas nas mídias”, explicou Simone, à época.

Mais cedo, outros congressistas sul-mato-grossenses manifestaram preocupação diante da postura de Bolsonaro. O deputado Fábio Trad (PSD-MS) disse achar grave Bolsonaro contrariar o próprio Ministério da Saúde, em um momento em que “todos estão mobilizados em tentar conter o avanço do vírus”.

Já a deputada Rose Modesto (PSDB-MS) afirmou que “o Brasil precisa entender que nós não temos ainda uma crise aguda da doença, mas, se não for feita a lição de casa, vai acontecer. E a quarentena é o caminho pra evitar que a doença contamine um número maior de pessoas. Esse é o momento de termos muita responsabilidade”.

 

 

"Deixe a história falar por si", comenta Simone Tebet sobre participação de Bolsonaro em ato
Mais notícias