De ex-deputado a ex-vereador, políticos disputam por vaga na Câmara de Campo Grande

Figuras conhecidas e fora do meio há vários anos querem voltar aos holofotes no Legislativo Municipal

Velhos conhecidos do eleitor de Campo Grande tentam uma nova chance nas eleições municipais deste ano. Não só ex-vereadores, mas até ex-deputados entraram na disputa por 29 vagas na Câmara Municipal.

Apenas dois parlamentares não vão concorrer a um novo mandato: André Salineiro (Avante) é o vice na chapa de Sérgio Harfouche à prefeitura. E Vinícius Siqueira (PSL) tenta na Justiça Eleitoral garantir sua candidatura ao Paço Municipal, após ser preterido pelo deputado federal Loester Trutis.

O Jornal Midiamax publicou a relação de todos os candidatos a vereador, conforme as direções dos partidos repassavam os dados ou em consulta às atas das convenções.

PSD

No PSD, que tem a segunda maior bancada do Legislativo Municipal, três ex-vereadores tentam voltar. Carla Stephanini deixou a Subsecretaria de Políticas para a Mulher para disputar uma cadeira.

carlastephanini.jpg
Carla Stephanini (Arquivo, Midiamax)

Ela não foi reeleita em 2016, assumindo um cargo na gestão de Marquinhos Trad (PSD). No início de 2019, Carla foi deputada federal por um mês, na vaga deixada pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM).

Delei Pinheiro, que teve o mandato cassado em 2015, disputa novamente, após ser barrado em 2016. Devido ao adiamento das eleições para novembro em razão da pandemia, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) autorizou candidaturas de “fichas-sujas” que veriam a suspensão de seus direitos políticos expirar neste ano.

Outro que volta a disputar uma cadeira é Ademar Vieira Júnior, o Coringa. Ele também foi deputado federal por um mês e foi subsecretário de Defesa dos Direitos Humanos.

Maicon Nogueira é outro membro do gabinete de Marquinhos que está na disputa. Ele deixou a subsecretaria de Políticas para a Juventude para concorrer.

MDB

O MDB é a legenda com maior número de figuras conhecidas que voltam a disputar uma eleição. Quatro ex-vereadores estão na lista.

magali.jpg
Ex-vereadora Magali Picarelli. (Izaias Medeiros, Câmara Municipal, Arquivo)

Esposa do ex-deputado estadual e atual gerente da TV Assembleia, Maurício Picarelli, a ex-vereadora Magali Picarelli tenta voltar à Casa de Leis, que deixou em 2017.

Ex-secretário municipal de Saúde Pública, o também ex-vereador Jamal Salem é outro candidato. Elizeu Dionizio, que também esteve na Câmara e depois assumiu mandato de deputado federal, está na disputa.

Renato Gomes, que foi vereador entre 1993 e 1997, concorre desta vez a vereador. Na última eleição, ele se lançou à prefeitura pelo PRP, mas desistiu após seu partido coligar com o PSC.

O ex-deputado estadual Coronel Ivan volta a disputar um cargo eletivo. O nome de Ritva Vieira, ex-diretora-presidente da Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos) na gestão de Alcides Bernal (PP), consta também na relação.

Com os direitos políticos cassados, o ex-vereador e ex-secretário municipal de Governo Paulo Pedra aposta na filha, Vivian Pedra, nesta eleição.

DEM

Pelo partido Democratas, o ex-vereador Vanderlei Cabeludo quer uma cadeira na Câmara após ficar de fora em 2016. Na época, ele era filiado ao MDB.

Advogado, Aluízio Borges está fora dos corredores do poder desde a década de 1990. Ele foi vereador entre 1989 e 1991 e deputado estadual entre 1991 e 1995.

Clemêncio Ribeiro, filiado por anos no MDB, também tenta voltar à Câmara. Neto do ex-prefeito Ary Coelho, o advogado Ary Coelho de Oliveira concorre novamente, dessa vez pelo partido Podemos.

PTB

Valdir Custódio deixou o cargo de subsecretário de Proteção e Defesa do Consumidor para concorrer neste ano pelo PTB.

PSC

chocolate_0.jpg
Ex-vereador Chocolate foi um dos aliados mais fiéis de Alcides Bernal. (Arquivo, Midiamax)

O ex-deputado estadual Reginaldo Ferreira disputa pela segunda vez uma vaga na Câmara. Ele foi eleito em 1998, sendo suplente na legislatura de 2003 a 2007.

Waldecy Nunes, conhecido como “Chocolate”, perdeu a reeleição em 2016 e vai tentar novamente este ano pelo PSC. Roberto Durães, suplente na legislatura anterior em Campo Grande, também disputa o cargo após quatro anos.

Patriota

Entre os nomes conhecidos na legenda, está o da ex-secretária municipal de Assistência Social, Maria Angélica Fontanari; e do ex-coordenador do Civitox (Centro Integrado de Vigilância Toxicológica), o médico toxicologista e nutrólogo Sandro Benites.

Republicanos

Militante bolsonarista, Rafael Tavares concorrerá no mesmo partido de dois dos filhos do presidente da República, Carlos Bolsonaro (vereador, que concorre à reeleição no Rio de Janeiro) e o senador Flávio Bolsonaro.

Ele também é conhecido por organizar atos de apoio a Jair Bolsonaro na Capital.

Solidariedade

Dois radialistas conhecidos do público campo-grandense concorrem pelo Solidariedade: João Bosco de Medeiros, que foi vereador de 1989 a 1992, e Karina Ketty.

PSL

Coronel da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul), Alírio Vilassanti é mais um candidato que representa a segurança pública.

Ele já atuou em Corumbá, no (Departamento de Operações de Fronteira) e BPTran (Batalhão de Polícia Militar de Trânsito).

Outra militante bolsonarista pelo PSL que está na disputa é a blogueira Juliana Gaioso. Diretor de uma revista local, Neil Brasil teve seu nome homologado pela legenda.

Juliana e Neil anunciaram suas desistências após a polêmica substituição de Vinícius Siqueira por Loester Trutis para concorrer à prefeitura.

*(Texto alterado às 07h09 de 24 de setembro para acréscimo de informações)

De ex-deputado a ex-vereador, políticos disputam por vaga na Câmara de Campo Grande
Mais notícias