Com um candidato aprovado em convenção, eleição para prefeito em cidade de MS pode virar referendo

Convenções realizadas em Alcinópolis sinalizaram apenas para indicação da candidatura do atual prefeito, Dalmy Crisóstomo

A eleição para a –a 313 km de Campo Grande– pode se tornar um referendo se até 27 de setembro nenhum outro partido anunciar candidatura majoritária. Até quarta-feira (16), apenas o prefeito Dalmy Crisóstomo (DEM) foi anunciado na disputa, em um arco de alianças formado por 5 partidos –sendo que 2 deles sequer lançarão candidatos à Câmara Municipal.

“Creio que ninguém mais lançou chapa majoritária, somente para vereador”, afirmou Dalmy à reportagem. O vice da chapa é o vereador Walter Ronis (PSDB) e o MDB também anunciou apoio à reeleição do prefeito. Juntos, os partidos terão 25 candidatos a uma das 9 vagas de vereador do município.

PSD e PDT também integram a chapa, porém, não devem lançar candidatos. Dalmy afirma que a possibilidade de não ter adversários não deve influenciar a campanha. “Temos o compromisso com os nossos pré-candidatos para dar suporte e fazer maioria”, destacou.

Com 5,4 mil habitantes, Alcinópolis conta com 3.502 eleitores vinculados à 38ª Zona Eleitoral, conforme dados do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul). Embora as convenções tenham se encerrado na quarta-feira, partidos e diretórios têm até o dia 27 para inscrever seus candidatos aprovados na reunião partidária. O primeiro turno das eleições acontecerá em 15 de novembro.

Com um candidato aprovado em convenção, eleição para prefeito em cidade de MS pode virar referendo
Mais notícias