Com dois novatos em eleições, bens de candidatos em Dourados somam R$ 13 milhões

Patrimônio de Barbosinha (DEM) passou de R$ 8,3 para quase R$ 10 milhões

Veterano em disputas eleitorais, José Carlos Barbosa, o Barbosinha (DEM), candidato a prefeitura de Dourados teve evolução patrimonial em relação às eleições de 2018, quando foi eleito deputado estadual. Na época seus bens totalizavam R$ 8.398.669,28 e agora passou para R$ 9.956.855,43.

Outro que teve crescimento patrimonial é o farmacêutico bioquímico Racib Harb, do PMN (Partido da Mobilização Nacional). Quando concorreu ao cargo de vereador em 2012 pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro), o candidato havia declarado possuir bens no valor de R$ 15 mil. Nessas eleições, ele informou a posse de dois veículos, que somam R$ 35 mil.

Dos dois novatos em disputas eleitorais, o empresário Mauro Tronicke Rodrigues (PSL), primo da senadora Soraia Tronicke (PSL) é o que o declarou o segundo maior patrimônio. Segundo mais rico, seus bens estão avaliados em R$ 2.198.650,56. Já o candidato João Carlos Bezerra (PT) informou possuir bens no valor de R$ 659.319,33.

Primeiro indígena a concorrer ao cargo de prefeito em Mato Grosso do Sul, Wilson Matos, do PTB (Partido Trabalhista Brasileiro, é um dos três candidatos que tiveram redução nos bens declarados em eleições anteriores seu patrimônio em 2016 era R$ 197.259,00 e passou para R$ 194.501,64 em 2020.

Alan Guedes, atual presidente da Câmara de Vereadores é outro que ficou mais pobre. Com base na informações fornecidas em 2018, quando disputou o cargo de deputado federal, o candidato tinha apresentado um patrimônio avaliado em R$ 35.481,53 e que agora, caiu para R$ 25.172,09.

Já o jornalista Jeferson Bezerra, que em 2016 também tentou uma vaga na Câmara de Vereadores pelo PV (Partido Verde), é o único que nestas eleições à prefeitura de Dourados declarou não possuir nenhum patrimônio. Na eleição anterior, seus bens estavam avaliados em R$ 10 mil.

Com dois novatos em eleições, bens de candidatos em Dourados somam R$ 13 milhões
Mais notícias