Com casos de coronavírus, Alems volta atrás e decide fazer recesso de 14 dias

Foram confirmados ao menos 4 servidores da Casa de Leis com Covid-19, além de dois deputados estaduais

Com casos confirmados do novo coronavírus, dentre eles o presidente da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) Paulo Corrêa (PSDB) e o deputado Neno Razuk (PTB), os parlamentares voltaram atrás e decidiram pelo recesso parlamentar de 14 dias, a partir da próxima semana.

A solicitação foi feita durante a sessão desta quarta-feira (15), pelo primeiro secretário Zé Teixeira (). Segundo o deputado, devido a apreensão dos colegas, ele pediu para consultar sobre a possibilidade do recesso. “Podemos fazer esforço de limparmos a pauta e fazer recesso de 14 dias. Vamos fechar a Casa pra não ter fluxo de funcionários”.

Paulo Corrêa que mesmo doente tem conduzido as sessões, explicou que os projetos precisam ser votados até amanhã (16) e fechar a Casa de Leis por duas semanas. “Vamos fazer a desinfecção da Assembleia e voltarmos dia 3 de agosto”. 

(PSL) não foi favorável ao recesso. “ contra, pois existem pautas que podíamos antecipar e não deixar para agosto”.

(Patriota) é presidente da CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação). Ele afirmou que para colocar no ar uma vez por semana a reunião da comissão, são necessários 20 servidores na Casa. “Não é justo a gente estar em casa e os servidores trabalhando na Assembleia para realizar as sessões”.

Sem recesso

Em junho, os deputados votaram e decidiram por não ter recesso parlamentar de 15 dias, pois a Casa de Leis estava fazendo sessões remotas. Cada gabinete estava funcionando com dois funcionários pela manhã e dois à tarde.

Porém, em uma realização de testes promovida pela Alems, cinco funcionários, entre o presidente da Casa, testaram positivo.

Com casos de coronavírus, Alems volta atrás e decide fazer recesso de 14 dias
Mais notícias