Com caminhada proibida, candidato em Maracaju denuncia aglomeração de rival com presença de ministra

Marcos Calderan (PSDB) reuniu produtores rurais e empresários no CTG da cidade, no mesmo dia da passeata barrada na Justiça

Depois de ter proibida pela Justiça Eleitoral caminhada prevista para hoje (31), o candidato a prefeito de Maracaju Lenilso Carvalho () denunciou aglomeração em ato do rival, Marcos Calderan (), no mesmo dia.

Segundo Carvalho, o tucano reuniu pelo menos 800 pessoas no CTG (Centro de Tradições Gaúchas) da cidade, em ato de campanha com produtores rurais e empresários. Inclusive, a ministra da Agricultura participou do evento.

“Fizeram o evento, em local fechado, e deu aglomeração. Se tivessem cancelado os dois, a população ia entender. Mas cancelaram só o nosso. As pessoas ficaram revoltadas”, disse o emedebista.

Lenilso Carvalho reforçou que não ingressou com recurso contra a decisão que barrou sua passeata na Vila Adrien, nesta tarde. Além disso, garantiu que não acionaria a Justiça contra o evento do rival.

Porém, o Ministério Público Eleitoral representou contra outro evento marcado por Marcos Calderan, uma caminhada prevista para este domingo (1º). À exemplo da decisão anterior, o juiz da 16ª Zona Eleitoral de Maracaju, Marco Antônio Montagnana Morais, proibiu o ato.

Em nota nas redes sociais, o tucano disse que aplaude a decisão e reclamou do que chamou de “ataques” do adversário nas urnas.

Com caminhada proibida, candidato em Maracaju denuncia aglomeração de rival com presença de ministra
Mais notícias