Com adiamento das eleições e desistência de Marçal, nome de Geraldo Resende volta a ser cogitado em Dourados

Presidente do Diretório Municipal do PSDB diz que partido terá candidato disputando a majoritária

Lideranças do PSDB  em Dourados já articulam uma eventual candidatura do secretário estadual de Saúde a prefeitura de Dourados. O nome dele ganhou mais força após a decisão de adiamento das eleições municipais para novembro, aprovada nesta quarta-feira (1) pelo .

Segundo o presidente do Diretório Municipal do PSDB, Valdenir Machado , o projeto do partido para a as eleições deste ano sempre esteve pautado em torno dos nomes do deputado estadual , que anunciou sua desistência na terça-feira (30) e também do deputado federal licenciado e atual secretário de Saúde, .

“Esses dois nomes sempre estiveram presentes nas nossas conversas. Com a desistência de Marçal e as mudanças na legislação que foram aprovadas,  Geraldo passa a ser a nossa opção. Já passamos as devidas informações para o diretório regional do partido e com certeza nós teremos candidato disputando a majoritária”, disse o presidente do PSDB em Dourados.

No entendimento do vereador  tucano Sérgio Nogueira, há um corrente muito forte dentro do partido que considera a candidatura do atual secretário como viável no atual cenário eleitoral do município. “Caso seja possível ao Dr. Geraldo deixar a Secretaria de Saúde, já existe uma corrente no grupo que defende a candidatura dele”, afirmou Nogueira.

Entretanto, essa decisão não pode ser apenas uma escolha do partido  e precisa também passar pela avaliação do próprio secretário. “O Geraldo é um político com muita experiência e competência. Participei e o apoiei na campanha a prefeito 4 anos atrás. Agora é ele quem precisa avaliar e colocar o nome à disposição. Se decidir isso, terá o meu apoio com certeza”, ponderou o vereador.

Procurado pelo Midiamax, o secretário estadual de Saúde, que está na linha de frente das ações de combate à pandemia em , ainda não se manifestou sobre a decisão de ontem que  pode alterar o prazo para que ocupantes de cargos de ordenador de despesas do poder público, possam desincompatibilizar em outro período, já que pelo calendário atual, a data limite era 4 de junho.

Com adiamento das eleições e desistência de Marçal, nome de Geraldo Resende volta a ser cogitado em Dourados
Mais notícias