Candidato à reeleição em Ponta Porã teve redução patrimonial de quase R$ 3 milhões

Cidade fronteiriça também tem um candidato sem patrimônio, que já foi milionário

A disputa à prefeitura de Ponta Porã, principal cidade da fronteira com o Paraguai, apresenta diferenças acentuadas entre os três postulantes quando o assunto é o patrimônio de cada candidato. É o que revela a declaração do atual prefeito, Hélio Peluffo Filho, que tenta a reeleição pelo PSDB (Partido da Social Democracia). Seus bens declarados á Justiça Eleitoral somam 4.533.075,27.

Apesar de ser o o único milionário entre entre os candidatos  em Ponta Porã, o tucano informou que ficou mais pobre desde que se tornou o prefeito. Quando foi eleito em 2016, Peluffo declarou possuir bens no valor total de 7.351.491,13. Isso significa, que em relação eleição anterior,  seu patrimônio teve queda de quase três milhões, conforme o http://divulgacandcontas.tse.jus.br/ .

Novata em eleições na cidade, a professora Vitória Elfrida Antunes, candidata pelo PT (Partido dos Trabalhadores) declara possuir um modesto patrimônio comparado ao atual prefeito. Seu principal bem é um Jeep Renegate Sport Flex 2016/2016,  comprado em 2016, pelo valor de R$79.790,00 e uma poupança no valor de R$ 5.659,26, além de um terreno no valor de R$ 1 mil, que totaliza R$ 86.449,26

Já o terceiro candidato, Ronaldo Franco Mendes, do Patriota não declarou nenhum bem. Entretanto, quando foi candidato à deputado federal em 2018, ele informou possuir um patrimônio avaliado em R$ R$980.400,00. Só em espécie Ronaldo possuía R$ 600.400,00, que seria proveniente de  atividade ligada à agricultura. Sua candidatura aparece como indeferida na relação publicada pela Justiça Eleitoral, mas ele ainda aguarda o julgamento de um recurso.

 

Candidato à reeleição em Ponta Porã teve redução patrimonial de quase R$ 3 milhões
Mais notícias