Câmara aprova adicional de 40% para linha de frente do coronavírus em Campo Grande

Projeto autoriza o município a pagar insalubridade aos servidores

Os vereadores de Campo Grande aprovaram, na sessão desta quinta-feira (9), o projeto que autoriza a Prefeitura a conceder o adicional de insalubridade para os trabalhadores quem atuam na linha de frente no combate ao coronavírus (Covid-19).

Assinada pelos vereadores Dr. Cury (DEM), Enfermeira (B) e Dr. (B), a proposta prevê o pagamento de insalubridade no grau máximo, durante o período de emergência da saúde pública, de 40% calculado sobre o valor do salário.

Segundo a Casa de Leis, a medida abrange médicos, odontólogos, psicólogos, enfermeiros, técnicos em , auxiliar em , farmacêutico, assistentes sociais, auxiliar em serviço bucal, agentes de saúde, agentes comunitários, agentes de endemia, assistente de serviços de saúde, assistente administrativo I, assistente administrativo II, auxiliar social I, auxiliar social II, técnicos de imobilização ortopédica, técnicos em radiologia, técnico em necropsia, motoristas de ambulâncias, auxiliar de serviços de saúde lotados em postos de saúde.

Emendas apresentadas pelos vereadores ainda incluíram guardas civis metropolitanos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, médicos veterinários, técnicos em Assistência Bucal e auxiliares de Saúde Bucal, auditores fiscais de Vigilância Sanitária, agentes fiscais sanitários e servidores lotados na estrutura organizacional da SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social).

O projeto de lei seria votado na sessão de terça-feira (6), em regime de urgência, mas um pedido de vistas adiou para hoje sua aprovação. Agora, a proposta segue para sanção do prefeito Marquinhos Trad ().

Câmara aprova adicional de 40% para linha de frente do coronavírus em Campo Grande
Mais notícias