Bolsonaro usa militares para implantar ditadura, diz Dagoberto sobre ato contra Congresso

Polêmica iniciada com críticas do general Heleno ganhou força com suposto compartilhamento de vídeo pelo presidente

Em meio à polêmica envolvendo suposto compartilhamento de vídeo pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) convocando a população para ato contra o Congresso Nacional, o deputado federal sul-mato-grossense Dagoberto Nogueira (PDT) avaliou o posicionamento como tentativa de usar os militares para implantar uma ditadura militar no País.

“Os generais já começam a falar em golpe, em fechamento do Congresso. Ele [Bolsonaro] está fazendo o que o Maduro, o que o Hugo Chavez fez na Venezuela. Usou os militares, implantou a ditadura e se perpetuou no poder”, afirmou o pedetista. A fala de Dagoberto faz referência ao novo capítulo nos desentendimentos entre Planalto e Congresso foi iniciado com declarações do chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, acusando parlamentares de chantagem para ficar com R$ 30 bilhões do Orçamento.

A briga tomou força após, nesta semana, vir à tona notícia de compartilhamento por parte do presidente com contatos de WhattsApp de vídeo convocando a população para ato contra o STF (Supremo Tribunal Federal) e o Congresso Nacional. Em suas redes sociais, ele se manifestou dizendo que possui no whatts poucas dezenas de amigos e compartilha apenas mensagens ‘de cunho pessoal’. 

O ato para o qual Bolsonaro teria convocado os amigos é movimento organizado pela direita marcado para o dia 15 de março que chama para manifestações em todo o País tendo como pauta a defesa do presidente. A notícia da convocação gerou críticas em todo o País. Para Dagoberto, a partir da próxima semana ‘o Congresso vai reagir a tanta loucura’.

Mais notícias